​Estação Jd. Romano da CPTM terá diagnóstico gratuito de hepatites B e C

​Estação Jd. Romano da CPTM terá diagnóstico gratuito de hepatites B e C

Em apoio à campanha Julho Amarelo, mês de conscientização sobre as hepatites virais, a Estação Jardim Romano, da Linha 12-Safira da CPTM, realizará testes rápidos de hepatites B e C. A ação de saúde é gratuita e ocorrerá nesta quinta-feira (25/7), das 9h às 16h.

A hepatite é uma inflamação do fígado que pode comprometer seu funcionamento. Na maioria das vezes não há sintomas e, por isso, a doença pode passar despercebida. Entretanto, em fases mais graves, pode ocorrer fadiga, falta de apetite, náuseas, vômitos, perda de peso, além de pele e olhos amarelados (icterícia). Vírus, bactérias, álcool, drogas e alguns medicamentos podem ser responsáveis pelo seu surgimento.

Em 2018 foram registrados 13.992 casos de hepatite B no Brasil, o que representa sete casos por 100 mil habitantes. A hepatite B pode ser transmitida pelo contato com sangue contaminado, sexo sem proteção, compartilhamento de objetos cortantes e de uso pessoal e de mãe para filho. No caso da hepatite C, em que a forma de contágio é a mesma da hepatite B, foram notificados 26.167 casos.

Para a prevenção, algumas medidas simples podem ser fundamentais, como usar sempre preservativos nas relações sexuais, não compartilhar objetos de higiene pessoal, além de verificar se objetos cortantes e perfurantes usados nos salões de beleza e estúdios de piercings e tatuagens estão esterilizados.

O evento é promovido pelo Centro de Testagem e Aconselhamento – CTA Dr. Sergio Arouca e tem o apoio da CPTM, que abre espaços em suas estações para a realização de atividades ligadas a promoção de saúde e bem-estar dos passageiros.

Sobre as hepatites

As hepatites virais são doenças provocadas por diferentes vírus que apresentam características distintas (A,B,C,D e E). A transmissão ocorre geralmente pelo contato com sangue contaminado, que pode ocorrer das mais variadas formas, inclusive acidentalmente, desde tratamentos dentários e transfusão de sangue até ao uso de drogas injetáveis, por exemplo.

As hepatites A e B podem ser prevenidas por vacinação. Existe cura para hepatite C e tratamento para hepatite B.

O Ministério da Saúde estima que, no Estado de São Paulo, aproximadamente 230 mil pessoas, entre 15 e 69 anos, tiveram contato com o vírus da hepatite C. Entre elas, calcula-se que quase 139 mil possuem a doença e necessitam de acompanhamento e tratamento.

“O grande desafio é o diagnóstico. Por ser uma doença de longa evolução e que geralmente não apresenta sintomas, a contaminação pode ter ocorrido no passado e, até hoje, o portador não saiba que possui o vírus”, explica a coordenadora do Programa Estadual de Hepatites Virais, Sirlene Caminada.

A infecção pelo vírus pode evoluir para formas mais graves como a cirrose ou o câncer hepático.  Por isso, recomenda-se a realização do teste para hepatite C para diagnosticar e tratar precocemente.

O Coordenador do grupo de hepatite do Instituto Emílio Ribas, Roberto Foccacia, explica que o maior perigo em relação à hepatite C é a quase total falta de sintomas. “A doença evolui silenciosamente, as pessoas não sabem que são portadoras do vírus e, no futuro, desenvolvem inclusive outras doenças, como cirrose, insuficiência hepática e até o câncer de fígado”, explica.

O Ministério da Saúde estima que, no Brasil, aproximadamente 1,7 milhões de brasileiros estejam infectados com a hepatite C e 756 mil portadores da hepatite B, sem saber que são portadores do vírus.

 

SERVIÇO

Campanha Julho Amarelo – Testes de Hepatite B e C

Local: Estação Jardim Romano (Linha 12-Safira)

Data: quinta-feira, 25/7

Horário: das 09h às 16h

Grátis para passageiros

COMENTÁRIOS