A prevenção de drogas começa dentro de casa

A prevenção de drogas começa dentro de casa

Os familiares são os principais agentes de prevenção de seu filho e filha contra as drogas. O diálogo e o monitoramento nas relações virtuais e sociais são eficientes artifícios no combate, explica o médico psiquiatra e coordenador do Programa Recomeço, Ronaldo Laranjeira.

“A família deve sempre dialogar com os filhos. É importante estar de olho na avaliação na escola e no trabalho, assim como sua atividade nas redes sociais. Outra dica é verificar a alteração de comportamento, tão comum no período de adolescência”, explica ele.

Nem sempre a família é capaz de resolver o problema da relação do filho com as drogas. Nesse caso, Ronaldo sugere procurar ajuda na comunidade, nos grupos de ajuda, como o Narcóticos Anônimos.

Em casos ainda mais extremos, há uma série de atitudes a serem tomadas, como as internações. A internação breve, que pode ser também involuntária (quando solicitada por familiares), pode ser altamente estruturada. “As pessoas têm atividades, grupos, psicólogos, médicos, porque é um momento de se reestruturar”, afirma Marcelo Ribeiro, médico psiquiatra.

As internações voluntárias, porém, são as que mais apresentam resultados positivos. “É tranquilo, de certa forma, quando o paciente percebe que a droga faz mal e quer se tratar e cuidar do vício”, analisa Ana Carolina Siqueira, coordenadora de enfermagem.

COMENTÁRIOS