Acupuntura é opção contra a dor em unidades de saúde do Estado

Acupuntura é opção contra a dor em unidades de saúde do Estado

Tratamento oriental pode ajudar inclusive no combate aos efeitos colaterais do tratamento de câncer

Tradicional especialidade da medicina chinesa, a acupuntura faz parte desde 2007 do cardápio de opções terapêuticas oferecidas nas unidades de saúde do Estado de São Paulo. De lá para cá, mais de 3 milhões de sessões já foram realizadas, e o tratamento segue disponível em 264 unidades de todo o Estado. Os métodos oferecidos são a aplicação de ventosas ou moxa, a eletroestimulação e a tradicional inserção de agulhas em pontos predeterminados do corpo.

“Sabe-se que a acupuntura tem uma série de efeitos terapêuticos e o mais conhecido deles hoje é o alívio da dor, por meio da liberação de substâncias analgésicas e anti-inflamatórias”, diz o médico André Tsai, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

O número de tratamentos vem crescendo em 2017, foram realizadas mais de 375 mil sessões de acupuntura. No ano passado, o SUS paulista também passou a ofertar sessões de auriculoterapia, um tratamento feito a partir da orelha.

“A acupuntura tem como diferencial avaliar o paciente de forma holística, tratando não apenas os sintomas, mas proporcionando a sensação de bem estar, melhora da qualidade do sono, melhora da disposição e da parte emocional, tudo isso sem os efeitos colaterais do uso de medicações”, afirma o médico Daniel Hideo Yoshizumi, da AME Dr. Geraldo Bourroul, uma das unidades do Estado que oferecem o tratamento por acupuntura.

Antes de recorrer à acupuntura, porém, é importante buscar auxílio médico para obter o diagnostico clinico para a origem da dor. A acupuntura se junta a outras terapias em busca do bem-estar do paciente. A cozinheira Neuci Francisco Dias foi uma das beneficiadas desse atendimento para melhorar de fibromialgia, uma espécie de dor crônica. “O tratamento da acupuntura vem sendo muito benéfico para mim. Eu recomendo.”

O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), unidade ligada à Faculdade de Medicina da USP, também oferece o tratamento para os pacientes tratados e acompanhados pelo hospital. As principais recomendações de acupuntura para os pacientes oncológicos são para o controle de náusea e vômitos, boca seca, insônia, ansiedade e dormência de pés e mãos. “A acupuntura é um método seguro, com poucas contraindicações. A técnica age na redução dos efeitos colaterais do tratamento”, afirma a médica Rebeca Boltes Cecatto, do Icesp. Ela alerta, contudo, que o tratamento deve ser feito sem interrupção. “Não é em apenas uma aplicação que se tem o resultado esperado.”

COMENTÁRIOS