Alckmin amplia tratamento de câncer pelo SUS no Alto Tietê

Alckmin amplia tratamento de câncer pelo SUS no Alto Tietê

Centro Oncológico do Hospital Geral de Guarulhos poderá atender, anualmente, 1,2 mil pacientes novos. Novo serviço integra a Rede Hebe Camargo de Combate ao Câncer

O governador Geraldo Alckmin entrega nesta segunda-feira, 2 de março, às 10h, o Centro Oncológico do Hospital Geral de Guarulhos (HGG). Com investimento de R$ 3,7 milhões em obras de adequação e contratação de equipamentos e profissionais terceirizados, o novo serviço oferecerá tratamento de câncer a pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) de todo o Estado, com destaque para a população de Guarulhos e do Alto Tietê.

O Centro tem capacidade para atender 1,2 mil novos casos de câncer, por ano, e poderá realizar 4,8 mil sessões de quimioterapia e 7,2 mil de radioterapia anualmente, quando estiver em pleno funcionamento. Para tanto, foram contratados 19 profissionais, entre os quais estão três médicos oncologistas e dois radiologistas.

O Centro foi implantado num prédio anexo ao hospital, com área de 645 m². Possui cinco consultórios de oncologia clínica; salas específicas para manipulação de quimioterápicos e aplicação, com 8 poltronas; vestiários para pacientes que serão submetidos à radioterapia; sala de preparação de moldes para sessões radioterapêuticas; casamata, onde está instalado o acelerador linear, além de uma sala de comando do aparelho.

Desde segunda-feira, 23 de fevereiro, nove pacientes já passaram por sessões de radioterapia no local. As atividades foram iniciadas imediatamente após a liberação do alvará para utilização do acelerador linear, fornecido pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) no último dia 20.

O serviço oferecerá uma radioterapia diferenciada, denominada TBI (do inglês Total Body Irradiation), que permite a irradiação do corpo inteiro, contribuindo para a eliminação de células doentes em tecidos não tão facilmente alcançados pela quimioterapia, por exemplo.

Os procedimentos quimioterápicos também estão ocorrendo no novo setor. Entre outubro de 2014 e janeiro deste ano, o atendimento ambulatorial e as aplicações foram realizadas enfermaria do hospital, para agilizar o tratamento dos casos regulados pela à Central de Regulação de Oferta de Serviços de Saúde (Cross). Nesse período, foram feitas mais de 90 consultas e retornos, cerca de 30 sessões de quimioterapia e 145 atendimentos não médicos, na área de Psicologia e Enfermagem.

Nos dois meses iniciais (março e abril), poderão ser realizadas 150 sessões de quimioterapia e 150 de radioterapia. As atividades serão ampliadas no decorrer do ano de forma gradativa e, até dezembro, o número de sessões poderá chegar a 400 e 600 dos respectivos procedimentos.

COMENTÁRIOS