Alckmin entrega 10 novos leitos de UTI coronariana no hospital Luzia de Pinho Melo

Alckmin entrega 10 novos leitos de UTI coronariana no hospital Luzia de Pinho Melo

Estado investiu R$ 8,6 milhões na implantação do serviço, que é referência para o Alto Tietê e complementa a ala exclusiva de atendimento de cardiologia da unidade

O governador Geraldo Alckmin entrega neste sábado, 20 de agosto, a nova UTI coronariana do Hospital de Clínicas Luzia de Pinho Melo, unidade da Secretaria de Estado da Saúde em Mogi das Cruzes. Para implantação dos 10 novos leitos foram investidos pelo governo estadual R$ 8,6 milhões.

Trata-se de um serviço de alta complexidade, referência para toda a região do Alto Tietê e uma complementação ao atendimento cardiológico prestado na unidade. O custeio do serviço será de cerca de R$ 9 milhões por ano.

Desde o início do ano, o hospital está ampliando o atendimento na especialidade de cardiologia. Agora, além do atendimento emergencial e ambulatorial de cardiologia, há serviços de implantação de marca-passo, cardiodesfiblilador e ressincronizador cardíaco e atendimento para troca e controle destes equipamentos, complementado pelo suporte da UTI Coronariana para atendimento dos casos mais graves. No primeiro semestre deste ano foram realizados 103 implantes de marca-passo na unidade.

“Reunimos o atendimento de cardiologia intensiva em uma única ala do hospital, com toda a assistência necessária, proporcionando mais conforto aos pacientes e qualidade no atendimento”, diz o secretário de Estado da Saúde de São Paulo, David Uip.

O Hospital de Clinicas Luzia de Pinho Melo tornou-se uma referência importante na região para os pacientes na área de cardiologia, devido ao serviço de cirurgia cardíaca e modernização promovida pelo serviço de hemodinâmica, que resultou em um aumento no número de exames de cateterismo cardíaco, neurológico e vascular realizados, de 60 para 180 por mês.

A nova UTI coronariana iniciou os atendimentos no mês de junho e, em dois meses, já atendeu cerca de 80 pacientes, com média de internação de sete dias.

COMENTÁRIOS