Alckmin entrega 1º hospital público para dependentes de crack

Alckmin entrega 1º hospital público para dependentes de crack

Com investimento de R$ 15,4 milhões e 76 leitos, serviço irá funcionar no complexo do Hospital das Clínicas da Botucatu


O governador Geraldo Alckmin entregou nesta quinta-feira, 5 de dezembro, em Botucatu,  o primeiro hospital público do Estado destinado ao tratamento e reabilitação de dependentes químicos, especialmente de crack.

 “Não conheço outro serviço com essas características no país”, afirmou o psiquiatra Ronaldo Laranjeira, coordenador do programa Recomeço, do governo do Estado, de combate à dependência de crack.

Com 76 leitos, o serviço faz parte do complexo do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu. A Secretaria de Estado da Saúde investiu R$ 15,4 milhões na implantação da clínica de recuperação, que será referência de atendimento para os 68 municípios que compõem a região de Bauru.

Atualmente, no interior, o Estado compra leitos para tratamento de dependência química em instituições como o Instituto Bairral, de Itapira.

Construída em uma área de 3,7 mil m², a clínica é dividida em sete blocos que, juntos, contam com 42 leitos destinados ao tratamento de pacientes do sexo masculino, 24 para pacientes do sexo feminino e 10 voltados ao processo de desintoxicação dos dependentes. O centro de reabilitação conta ainda com quadra poliesportiva coberta, espaço para ginástica e piscina.

Além do atendimento clínico, os pacientes internados na unidade também receberão acompanhamento com uma equipe multiprofissional, formada por psiquiatras, psicólogos, assistentes sociais e educadores físicos, entre outros.

A nova unidade oferecerá ainda cursos profissionalizantes, como de garçom e confeiteiro, por exemplo, tanto para os dependentes em tratamento quanto para os seus familiares.

A clínica de reabilitação ficará sob gestão do HC local, responsável também pela contratação de recursos. Já o atendimento dos pacientes será feito via encaminhamento realizado pelas unidades de saúde municipais.

“O combate à dependência química é um compromisso firmado pelo governo do Estado de São Paulo que vem investindo fortemente para ampliar e facilitar o acesso dos dependentes químicos a unidades de tratamento modernas, bem equipadas e que contam, sobretudo, com equipes multiprofissionais altamente capacitadas”, diz David Uip, Secretário de Estado da Saúde de São Paulo.

“Não conheço outro serviço com essas características no país”, afirmou o psiquiatra Ronaldo Laranjeira, coordenador do programa Recomeço, do governo do Estado, de combate à dependência de crack.

Desde 2011 a Secretaria entregou 678 novos leitos de enfermaria para atender aos dependentes de drogas nos casos em que há indicação clínica de internação, totalizando 1.160 vagas custeadas pelo tesouro estadual. Até o próximo ano o número de leitos deverá ultrapassar os 1,3 mil em todo o Estado.

COMENTÁRIOS