Alckmin investe R$ 69,1 milhões na saúde do ABCD

Alckmin investe R$ 69,1 milhões na saúde do ABCD

Com mais R$ 20 milhões do governo do Estado hospital municipal de São Bernardo do Campo,enfim, poderá funcionar; Diadema ganha ressonância magnética

 

O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta quinta-feira, 24 de outubro, um novo pacote de medidas para a saúde da região do Grande ABCD no valor de R$ 46,5 milhões. Entre as ações está o anúncio da liberação de mais R$ 20 milhões para finalização da obra e instalação da rede de tecnologia de informação do Hospital Municipal de São Bernardo do Campo.

A Secretaria de Estado da Saúde já investiu R$ 20 milhões na obra da unidade. Esse novo aporte resultará num complexo de três blocos em uma área de 37 mil m². Quando concluída, a nova estrutura contará com 260 leitos, 13 salas para procedimentos cirúrgicos e deverá oferecer anualmente 16 mil vagas de internação, 6.000 cirurgias, 400 mil procedimentos de diagnósticos e 13 mil seções de diálise.

Assim como ampliar a oferta de leitos para a região de São Bernardo do Campo, o novo serviço será referência em atendimento clínico e cirúrgico nas especialidades de neurologia, neurocirurgia, nefrologia, oftalmologia e cirurgia cardiovascular.

Para o Hospital Estadual Mário Covas, unidade pertencente à Secretaria, o governador autorizou um repasse financeiro no valor de R$ 10 milhões que será investido na modernização da unidade e na compra de equipamentos, como aparelhos de anestesia, ventiladores para UTI, monitores hospitalares, entre outros. A verba será liberada por meio de um pacote de emendas parlamentares.

Referência em atendimento para todos os municípios que compõem a região do Grande ABC, o Hospital Estadual Mário Covas realiza por ano, em média, 11,8 mil internações, 193,8 mil cirurgias ambulatoriais, 193 mil consultas médicas e 7,2 mil sessões de quimioterapia. Neste ano, serão investidos pela Pasta estadual cerca de R$ 128,7 milhões somente para custeio do Hospital.

Outra medida do governo do Estado é a entrega do serviço de ressonância magnética no Hospital Estadual de Diadema. A Secretaria investiu R$ 2,6 milhões para compra do aparelho, itens do mobiliário e a readequação da estrutura do ambiente. Os valores foram integralmente custeados pelo Governo do Estado.

Com o aparelho será possível realizar cerca de 400 exames por mês e atender pacientes de sete municípios do Grande ABC (Santo André, Diadema, São Bernardo do Campo, Mauá, Ribeirão Pires, São Caetano do Sul e Rio Grande da Serra).

“Esses investimentos representam um grande reforço para a saúde pública no ABC paulista. Nosso objetivo é oferecer atendimento mais rápido e de qualidade com melhor estrutura aos usuários do SUS”, afirma o secretário de Estado da Saúde, David Uip.

 

CRI e Lucy Montoro

Além disso, para ampliar a qualidade e quantidade dos serviços públicos oferecidos à população da região, a Secretaria está implantando um CRI (Centro de Referência do Idoso) num anexo ao Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Santo André.

A licitação para definir qual será a empresa que desenvolverá o projeto foi publicada no Diário Oficial no dia 11 de outubro e a previsão de investimentos para a construção do prédio é de R$ 4 milhões.

Além de consultas nas especialidades de geriatria, otorrinolaringologia, oftalmologia, urologia e ginecologia e exames de apoio diagnóstico, como de audiometria, por exemplo, o CRI também vai oferecer aos idosos atividades em grupo, voltadas para a prevenção de quedas e para a memória, serviços terapêuticos, como de podologia, e atividades educacionais, culturais e de lazer. O atendimentos nos CRIs são feitos via encaminhamento das unidades básicas de saúde.

Os CRIs são polos regionais de promoção de envelhecimento ativo e centros formadores geriátricos, com especialidades médicas, atividades educacionais, culturais e de lazer.

Na capital, já existem duas unidades estaduais com este perfil em funcionamento: os Centros de Referência do Idoso (CRI) da zona Norte e o da zona Leste que, juntos, realizam mais de 40 mil atendimentos por mês. Somente para este ano, serão investidos R$ 26,6 milhões para custeio das unidades.

Ainda em Santo André, a Secretaria irá implantar uma unidade da Rede Lucy Montoro, também num terreno anexo ao Hospital Mario Covas. O investimento previsto é de R$ 8 milhões.

Outra unidade da Rede será implantada em Diadema. A unidade será instalada em um prédio da prefeitura localizado no “Quarteirão da Saúde”. O investimento previsto é de R$ 4,5 milhões.

COMENTÁRIOS