Aproveite o Carnaval sem deixar sua saúde de lado

Combinação entre álcool e alimentos gordurosos pode sobrecarregar o fígado, alerta nutricionista

Muita fruta, hidratação reforçada, alimentação leve, moderação no consumo de álcool, protetor solar e preservativo, estas são as principais dicas da Secretaria de Estado da Saúde para você curtir o Carnaval sem deixar sua saúde de lado.

Segundo Lara Natacci, nutricionista do programa Meu Prato Saudável, é fundamental que as refeições sejam leves para evitar transtornos intestinais. O ideal é consumir várias refeições pequenas em intervalos de no máximo quatro horas.

Para não desperdiçar tempo na cozinha, o folião pode apostar em pratos rápidos em versões saudáveis. O lanche, por exemplo, pode ser preparado com pão integral, queijo cremoso magro, peito de peru (substituível por rosbife magro), folhas de alface, fatias de tomate e cenoura ralada.

Outro lanche prático e energético é a salada de fruta salpicada com granola, quinua em flocos, grãos de chia e iogurte batido com mel e canela. Quem busca uma refeição efetivamente, pode optar ainda por massa integral com molho de tomate fresco, ervilhas, brócolis e iscas de peito de frango.

Sinal Vermelho

Segundo Lara, alimentos ricos em gordura (carnes gordas e frituras), temperos prontos, molhos gordurosos (o branco, por exemplo) devem ser evitados.

“Estes alimentos são de lenta digestão e podem causar desconfortos intestinais, que é tudo o que o folião não quer ter nesses dias. O excesso de sal também deve ser evitado para não causar a retenção de líquido”.

Quem não consegue resistir às tradicionais feijoadas de carnaval deve montar o prato colocando 1/4 de feijoada, 1/4 de arroz e o restante de couve-manteiga refogada e outros vegetais. O abacaxi e o mamão papaia ajudam o estômago e o intestino a trabalharem de forma mais eficaz.

No caso de bebidas alcoólicas, o folião jamais deve começar a beber de estômago vazio. É importante alternar a bebida com o consumo de copos grandes de água. O consumo máximo diário preconizado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) é de duas doses para homens e uma para mulheres. Uma dose equivale a uma lata de cerveja ou um copo de batida.

Quem eventualmente exagerar na bebida alcoólica deve, necessariamente, eliminar alimentos gordurosos para não sobrecarregar o fígado. O órgão é responsável por metabolizar as toxinas do álcool. Vale a pena investir em frutas, sucos, verduras, legumes, peixes e cereais.

Prevenção HIV

Autoteste

O Programa Estadual DST/Aids-SP tem investido também na divulgação e distribuição de autotestes. Para o carnaval, foram encaminhados 5 mil autotestes  de HIV para diversas regiões, englobando Ribeirão Preto, Campinas, Piracicaba, Santos, São José do Rio Preto e São Bernardo do Campo, além da capital. Cada localidade programará a distribuição desse novo método em sua rede.

O procedimento é simples, idealizado para ser realizado em casa. Através de uma gota de sangue, obtida do dedo, pode-se obter o resultado em 10 minutos. Se for positivo, é importante procurar um serviço de saúde para confirmação e seguimento assistencial. Por meio do Disque DST/Aids – 0800 16 25 50, é possível saber qual é o serviço mais próximo.

O teste rápido para HIV e sífilis pode ser realizado em poucos minutos, facilitando o acesso ao resultado de forma rápida, bem como o início de tratamento especializado, se necessário. Os casos positivos recebem imediatamente encaminhamento para um serviço de referência. Além disso, as equipes atuam no sentido de orientar todos os que realizam o teste sobre as estratégias de prevenção disponíveis no SUS.

O coordenador do Programa Estadual DST/Aids-SP, Artur Kalichman, destaca que os testes são gratuitos, confiáveis e nãorequerem jejum. “A testagem é indicada para todos que tiverem vida sexual ativa, em especial para a população mais vulnerável, ou seja, homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo, travestis e transexuais”, completa.

Protetor Solar e óculos de sol

O protetor solar é essencial para os cuidados com a saúde da nossa pele, mas o que muitos esquecem é que é preciso passá-lo todos os dias, independente do tempo que está fazendo.  No verão, é notável que a alta incidência de raios solares provoca o aumento do uso de óculos de sol no país. Porém, não apenas a utilização de óculos aumenta: o risco de doenças oculares também. O motivo?  Falta de proteção adequada à visão.

 Uma das doenças que podem ser provocadas pela exposição aos raios solares UVA e UVB chama-se pterígio. De acordo com Mariana Eleonora Pereira Cunial, oftalmologista do Hospital de Transplantes, trata-se do crescimento de uma espécie de membrana que cobre os olhos, estendendo-se da parte branca até a córnea. “Existem diversos fatores que provocam a doença, mas estudos mostram maior prevalência de pterígio em indivíduos expostos à radiação ultravioleta e que trabalham ao sol. Apesar de ser uma lesão benigna, é também potencialmente causadora de cegueira, uma vez que seu crescimento pode obstruir a pupila, impedindo a visão”, explica. 

Hidratação

As altas temperaturas do verão, associadas ao aumento da transpiração e a falta da ingestão adequada de água podem gerar sérios riscos para o surgimento de “pedra nos rins”. Mudanças na alimentação, constante reposição de líquidos e a atenção à coloração da urina, são algumas das principais recomendações para evitar o cálculo renal.

O alerta vem do Centro de Referência em Saúde do Homem, unidade estadual localizada na capital paulista e gerenciada em parceria com a SPDM – Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina.

O serviço superou a marca de 24 mil procedimentos realizados para a retirada de cálculos renais nos últimos cinco anos. Por ano, são aproximadamente 4.800 cirurgias. O número é considerado alto por especialistas da unidade, que alertam que é preciso prevenir o problema e a melhor forma para evitá-lo é simples: beber líquido.

Cerca de 10% da população pode vir a ter cálculo renal alguma vez na vida. “A falta de água é um dos principais fatores para a formação das chamadas pedras. No verão, perdemos muito líquido devido à transpiração, assim, a urina fica concentrada, o que pode favorecer a formação dos cálculos. Sucos naturais de limão, laranja, melão e melancia, assim como água de coco, também ajudam a urinar bastante. Já os refrigerantes não contribuem para a prevenção”, explica o urologista Fábio Vicentini, chefe do Setor de Endourologia e Cálculo Renal do hospital.

COMENTÁRIOS