Artigo: União de forças contra o Aedes

Artigo: União de forças contra o Aedes

Estamos em pleno verão e período de chuvas, momento em que as condições são mais favoráveis para a proliferação do mosquito Aedes aegypti e, consequentemente, para a transmissão de arboviroses como zika vírus, chikungunya e, sobretudo, dengue.

Neste ano, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo identificou, por meio de sua rede de laboratórios do Instituto Adolfo Lutz, a circulação do tipo 2 do vírus dengue, principalmente na região noroeste do Estado.

Esse sorotipo há algum tempo não estava presente em nosso Estado e, portanto, há um número grande de pessoas suscetíveis a infecções – casos de reinfecção apresentam maior risco de desenvolvimento de quadros clínicos mais graves.

Por isso, a Secretaria se articulou, junto aos municípios, para a realização de capacitações de manejo clínico, isto é, treinamentos de profissionais dos serviços de saúde do SUS (Sistema Único de Saúde) para a identificação de sinais e sintomas de dengue grave, e as condutas terapêuticas a serem adotadas. Isso já foi feito na região de Araçatuba e, ao longo de fevereiro, abrangerá todo o Estado.

No último dia 2, ao lado do governador João Doria, lançamos o Plano Estadual de Combate ao Aedes, uma mobilização gigantesca que será realizada neste mês, para envolver a sociedade e os municípios paulistas em torno da necessidade de eliminar focos do mosquito.

De 11 a 16 de fevereiro, concentraremos esforços em uma Semana Especial, em parceria com as prefeituras, com ações coletivas como mutirões, limpezas e eliminação de criadouros, além de distribuição de materiais informativos para a população.

Fechamos parcerias importantes com outras secretarias e órgãos do governo estadual, unindo forças contra o Aedes.

A Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), distribuirá panfletos em algumas praças de pedágio, além de inserir mensagens de orientação sobre combate ao Aedes nos letreiros das rodovias. No dia 13, acontece um “Dia D” de limpeza nas margens das estradas, para retirada de pneus, entulhos e itens com potencial para criadouros do mosquito.

Agentes da Defesa Civil farão, no decorrer de fevereiro, ações especiais com profissionais da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias) em cidades consideradas prioritárias, de acordo com os índices de infestação.

Saúde e Educação também vão realizar, no dia 15, um Dia Especial de combate ao mosquito transmissor da dengue nas escolas estaduais, mobilizando mais de 3 milhões de alunos na “caça” ao Aedes.

No dia 16, Saúde e Meio Ambiente fazem ação de combate ao mosquito e conscientização nos parques estaduais, com apoio da Sucen.

E uma boa notícia: neste mês, o Instituto Butantan irá iniciar os testes da fábrica da primeira vacina brasileira contra a dengue, que protege contra os quatro sorotipos da doença e será distribuída na rede pública de todo o Brasil dentro de dois anos.

O Governo do Estado está somando esforços e fazendo sua parte para combater o Aedes. Como 80% dos criadouros do mosquito estão nas residências, contamos com o apoio, fundamental e decisivo, de toda a população, para não deixar recipientes com água parada em suas casas.

 

Por José Henrique Germann Ferreira, Secretário da Saúde do Estado de São Paulo

COMENTÁRIOS