#BalançoTrimestral: SP inicia “Corujão da Saúde” para zerar filas

#BalançoTrimestral: SP inicia “Corujão da Saúde” para zerar filas

O programa “Corujão da Saúde” tem como objetivo zerar a fila por ultrassom, mamografia e endoscopia, inicialmente em três regiões do Estado. A primeira fase contempla as regiões da Grande São Paulo, Campinas e Vale do Paraíba. Teve seu início programado para o dia 25 de fevereiro, mas foi antecipado para o dia 23.

“O Programa Corujão da Saúde toma como base o sucesso na prefeitura de São Paulo”, afirmou o Governador João Doria. “O princípio básico (do programa) é que aconteça em horários que tenha menos demanda nas salas de exames dos hospitais que fazem parte do ‘Corujão’, privados e públicos. Você tem a disponibilidade das salas de exames e de técnicos e são exames que levam de 10 a 15 minutos no máximo”.

Nas três regiões a demanda reprimida é de 155.243 exames, que serão realizados em unidades estaduais, como hospitais e AMEs, e serviços privados, em horários alternativos. Entre os serviços privados que já realizam atendimentos do Corujão estão o Albert Einstein, Sírio Libanês, HCor, Hospital Vera Cruz de Campinas, Santa Casa de São José dos Campos, etc.

“Contatamos as entidades privadas, que, junto conosco, farão um esforço coordenado no sentido de diminuir o número de pacientes em filas para exames. Nas três regiões, teremos o total de 150 mil exames, divididos em diversas áreas. São exames de imagem e endoscopia. Pelos cálculos, no prazo de 60 dias, conseguiremos diminuir significativamente essas filas”, comenta o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira.

A segunda fase do Corujão deve envolver outras quatro regiões do Estado, e a publicação do edital de chamamento público para a contratação dos serviços privados nestes locais deve ocorrer nos próximos dias. A pasta também estuda nesta fase do Corujão a realização de cirurgias.

“Estamos fazendo um grande esforço para agilizar a realização dos exames de imagem mais solicitados na rede pública, eliminando a demanda reprimida e assegurando o tratamento dos pacientes. Já estamos estudando as próximas etapas e regiões onde o ‘Corujão’ estará presente, abrangendo todo o Estado de São Paulo”, conclui o secretário da Saúde.

COMENTÁRIOS