Bancos de leite de SP operam com capacidade abaixo do ideal

Bancos de leite de SP operam com capacidade abaixo do ideal

Demanda de bebês foi superior ao número de mães doadoras em 2014; leite materno contribui para o desenvolvimento de recém-nascidos

O bancos de leite da rede pública de saúde do Estado de São Paulo estão operando com capacidade abaixo do ideal, conseguindo suprir a demanda das unidades neonatais entre 60% e 80% da necessidade.

A informação é do centro de referência estadual de bancos de leite, localizado no Hospital e Maternidade Leonor Mendes de Barros, unidade da Secretaria de Estado da Saúde, na zona Leste da capital paulista.

Por isso a Secretaria convoca todas as mães em fase de amamentação para doarem o leite excedente, com o intuito de aumentar o estoque paulista dos Bancos de Leite Humano (BLH) e contribuir no desenvolvimento das crianças recém-nascidas.

De acordo com a coordenadora do banco de leite da maternidade Leonor Mendes de Barros, Andrea Penha Spínola Fernandes, é importante alertar as mães, sempre que possível, que além de amamentar o seu filho, ela pode suprir as necessidades de outras crianças, já que o leite humano também protege e garante a saúde dos bebês.

“O leite humano para os recém-nascidos prematuros é uma necessidade nutricional e uma urgência imunológica. Portanto, vale reiterar que, as mães aptas a doarem leite, podem salvar outras vidas e proporcionar tranquilidade aos pais dessas crianças”, enfatiza Andrea.

O Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros ainda consegue coletar mais do que distribui. Mas no ano passado, em todo o Estado, o número de bebês que precisavam de leite materno (40 mil) foi superior ao total de doadoras (37 mil).

Em 2014 foram coletados 45 mil litros de leite humano na rede pública do Estado de São Paulo.

Como funciona a doação

O principal critério para ser doadora de leite humano é a mãe estar amamentando, saudável, produzindo um volume excedente de leite e não utilizar nenhum medicamento que impeça a doação.

O procedimento é simples. Basta comparecer a um banco de leite e receber as orientações necessárias. As interessadas devem preencher um cadastro e apresentar exames laboratoriais de sorologia dos últimos seis meses. Normalmente os bancos de leite oferecem serviços de busca em domicílio e também costumam disponibilizar um kit (com gorro, máscara e frascos de armazenamento) para a alta qualidade do alimento doado.

Para as mulheres, a doação de leite evita empedramento das mamas e ajuda na recuperação da forma física. Existem mais de 50 bancos de leite em todo o Estado de São Paulo. A lista completa pode ser consultada no site http://www.redeblh.fiocruz.br, por meio do link “Encontre o BLH mais próximo de você”.

COMENTÁRIOS