“Blitz do bem” contra álcool e cigarro faz parada na Estação Barra Funda

“Blitz do bem” contra álcool e cigarro faz parada na Estação Barra Funda

Parceria do Instituto do Câncer com o Cratod leva médicos, dentistas e psicólogos para realizar testes e avaliações de saúde bucal gratuitas; Ação visa conscientizar população sobre o câncer de cabeça e pescoço

Quem passar pela estação Barra Funda da CPTM, nesta sexta-feira (8), entre 9 e 14 horas, vai se deparar com uma “blitz” contra o tabagismo e o consumo excessivo de álcool.

O público poderá realizar, gratuitamente, uma avaliação da saúde bucal, testes para medição do nível de consumo de álcool e também um “bafômetro” do cigarro, como é popularmente chamado o exame de monoximetria.

A ação “Blitz do Bem: sinal verde para a prevenção” é uma parceria do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) e do Centro de Referência em Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), unidades estaduais de saúde, com apoio da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em prol do movimento “Julho Verde”.

A campanha visa à conscientização e o combate do câncer de cabeça e pescoço, como os tumores que se desenvolvem na boca, língua, laringe, faringe e tireóide, por exemplo, e afetam diretamente as funções de fala, deglutição, respiração, paladar e olfato.

Entre os sintomas mais frequentes estão manchas brancas na boca, dor, lesão com sangramento de cicatrização demorada, nódulos no pescoço presentes por mais de duas semanas, mudanças na voz ou rouquidão persistente e dificuldade para engolir. “O diagnóstico precoce é sem dúvida um dos nossos aliados. Detectadas na fase inicial, a doença apresenta até 80% de chances de cura”, destaca o médico Marco Aurélio Kulcsar, coordenador do grupo cirúrgico de Cabeça e Pescoço do Icesp.

Álcool e cigarro: fatores de risco

De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, a associação do cigarro com o consumo frequente de bebidas alcoolicas pode aumentar em 20 vezes as chances de uma pessoa desenvolver tumores na região da cabeça e pescoço.

Estudo realizado pelo Icesp apontou que 80% dos pacientes atendidos no hospital com esse tipo de tumor são ou já foram tabagistas. Quando se trata do etilismo (consumo excessivo de álcool), os números representam 50% do público.

 

COMENTÁRIOS