Campanha de vacinação contra gripe entra na reta final; saiba quais são os grupos prioritários

Campanha de vacinação contra gripe entra na reta final; saiba quais são os grupos prioritários

Mais de 1 milhão de idosos e 1,2 milhão de pacientes crônicos precisam comparecer aos postos de saúde para se vacinar contra gripe, para que SP atinja a cobertura vacinal de 90% entre os grupos do público-alvo. Por isso, nessa reta final da campanha, a Secretaria de Estado da Saúde está convocando pessoas ainda não imunizadas para que tomem as doses até o dia 31 de maio, data prevista para encerramento.

Dentre as principais pessoas a serem vacinadas estão os chamados grupos prioritários. Pertencem a estes grupos crianças, gestantes, idosos, pacientes crônicos, profissionais de saúdes e professores.

Mais de 1 milhão de idosos e 1,2 milhão de pacientes crônicos precisam comparecer aos postos de saúde para se vacinar contra gripe, para que SP atinja a cobertura vacinal de 90% entre os grupos do público-alvo. Os dados informados pelos municípios paulistas mostram que o Estado já vacinou, mais de 7,6 milhões de pessoas contra a gripe, total que inclui 3,2 milhões de idosos e 1,3 milhão de pacientes com comorbidades, como diabetes e hipertensão (veja abaixo os números por região). Esses dados representam cobertura vacinal de 67% e 46%, respectivamente.

São chamadas também 1 milhão de crianças e 164 mil gestantes para se vacinarem. Já foram 1,6 milhão de grávidas e 241,7 mil crianças com idade entre 1 e 6 anos incompletos vacinadas. Esses dados representam cobertura vacinal de 54% e 53%, respectivamente.

Já os profissionais das redes pública e privada de saúde, faltam 550 a serem vacinados contra gripe, enquanto o Estado convoca mais de 133 mil professores das redes pública e privada de ensino aos postos de saúde.

“É de extrema importância que todos os grupos prioritários compareçam aos postos de saúde para imunização, Fazemos um apelo especial aos pais, para que levem os pequenos aos postos, e também às gestantes, para proteção das mães e bebês. A vacinação evita complicações futuras como pneumonias ”, afirma a diretora de Imunização da Secretaria, Helena Sato.

“A vacina não provoca gripe em quem tomar a dose, pois é composta apenas de fragmentos do vírus que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença”, complementa.

Segundo recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde), a vacina de 2019 irá prevenir a população-alvo contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A (H3N2) e B.

A vacina contra gripe é produzida pelo Instituto Butantan, unidade vinculada à Secretaria, que neste ano disponibilizou 64 milhões de doses ao Ministério da Saúde para a realização da campanha em todo o Brasil.

COMENTÁRIOS