Campanha “Fique Sabendo” atinge a marca de 1 milhão de testes

Campanha “Fique Sabendo” atinge a marca de 1 milhão de testes

A 6ª edição da campanha “Fique Sabendo”, realizada de 25 de novembro a 01 de dezembro, iniciativa da Secretaria de Estado da Saúde, por meio do Centro de Referência e Treinamento DST/AIDS-SP, em parceria com as secretarias municipais de saúde, ultrapassou as expectativas.  “Foram realizados ao todo 221.383 testes, destes 125.113 exames anti-HIV (convencionais e rápidos) e 75.394 testes para sífilis. Alguns municípios realizaram também 20.876 testes para hepatites B e C”, informa Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/AIDS-SP.  Estes números referem-se aos dados enviados até o dia 5 de dezembro, correspondendo a 479 municípios de 517 que participaram da ação. Estima-se em 240 mil o número de testes realizados. Estavam previstos cerca de 200 mil exames anti-HIV e sífilis. “A campanha Fique Sabendo foi iniciada em 2008. Com os testes realizados este ano, atingimos a marca de 1 milhão de testes no estado de São Paulo”, declara Maria Clara.

Entre as pessoas que realizaram o teste rápido, 40% são do sexo masculino (destes 59% fizeram o teste pela primeira vez) e 60% do feminino (45% nunca haviam feito teste antes). Segundo Karina Wolffenbuttel, coordenadora da Campanha Fique Sabendo, 33% dos homens e 30% das mulheres testados tem até 29 anos. Já, entre os que realizaram teste convencional, 41% são do sexo masculino e 59% do feminino, inclusive 6.1% gestantes. Em média 60% das pessoas fizeram o teste anti-HIV pela primeira vez, entre elas 61% homens e 49% mulheres. Cerca de 30% dos homens testados tem menos de 29 anos de idade, e 30% mais de 50 anos.

Observou-se na amostra de pessoas que realizaram teste rápido, equivalente a 64.127 testes feitos em 259 municípios, 0,7% de positividade entre homens e 0,24% entre mulheres. “As pessoas identificadas como sororeagentes  devem ter sido encaminhadas para serviços especializados de saúde para seguimento médico. Nos dois primeiros meses de 2014  monitoraremos os encaminhamentos das pessoas diagnosticadas nos exames convencionais”, observa Maria Clara Gianna.

Participaram da atividade 517 municípios, totalizando mais de 2.500 unidades de saúde. Grande parte dos municípios realizaram atividades extramuros e uma parcela abriu durante final de semana (dia 30/11 e 01/12) para expandir o acesso dos exames à população. Ao todo foram mobilizados para a ação cerca de 40 mil profissionais de saúde de diferentes áreas (gestores, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais e técnicos de laboratório, entre outros).

A ação teve por objetivo incentivar o diagnóstico precoce da infecção pelo vírus HIV, causador da aids, e sífilis, especialmente junto as populações mais vulneráveis (homens que fazem sexo com homens, gays, travestis, transexuais, profissionais do sexo).  Em ambos os casos o diagnóstico precoce possibilita o  tratamento em tempo adequado, evita a transmissão vertical e a infecção de parceiros/as.

COMENTÁRIOS