Centro Cirúrgico do Instituto Central do HC inaugura novas instalações

Centro Cirúrgico do Instituto Central do HC inaugura novas instalações

O Centro Cirúrgico do Instituto Central (ICHC), um dos maiores da rede pública de saúde do País, inaugura as modernas instalações do Bloco 4. Os recursos foram disponibilizados pelo Governo do Estado de São Paulo.

O local passou por significativa mudança conceitual, seguindo tendência de melhor aproveitamento dos espaços para atender às necessidades dos cirurgiões e os avanços tecnológicos, levando-se em conta as normas nacionais e internacionais e a melhoria de fluxos e processos.

O projeto arquitetônico foi desenhado pelo Centro de Engenharia e Arquitetura Hospitalar (CEAH), em conjunto com o diretor do Centro Cirúrgico, Prof. Pedro Puech Leão, Titular da Disciplina de Cirurgia Vascular do HCFMSP. O desafio de reformar as instalações, sem interromper as atividades do Centro Cirúrgico, coube ao arquiteto Luiz Robles.

A política adotada garantiu a construção de mais uma sala cirúrgica. De três salas, o bloco passou a contar com quatro salas amplas, de 60 metros quadrados cada uma, e controle individual do sistema de condicionamento de ar.

Segundo o diretor do Centro Cirúrgico, numa primeira abordagem, as salas serão destinadas às divisões que usam equipamentos de tamanho maior e que exigem mais espaço. O revezamento das salas com as demais clínicas cirúrgicas também está previsto, sempre que houver disponibilidade.

Além da construção das salas, os serviços de reforma compreenderam a ampliação da área da unidade de recuperação anestésica, com a instalação de 14 novos leitos, posto de atendimento do Laboratório Central e área administrativa para a enfermagem e outras áreas de apoio do Centro Cirúrgico. Ao todo, foram 565 m² de intervenção, explicou o arquiteto.

O Prof. Puech Leão adiantou também que a reforma é parte integrante de um projeto arrojado de modernização do Centro Cirúrgico que contemplará, num futuro próximo, os blocos 1, 2 e 3. “Depois de três décadas e meia de atividades, as obras de remodelação são imprescindíveis e a modernização do parque tecnológico inevitável” – disse.

Os projetos de reestruturações dos blocos 1 e 3 já foram concluídos e aprovados. Eles preveem a ampliação das salas, mediante extinção do corredor de expurgo, antigo conceito hospitalar. O início das obras irá depender da disponibilização de recursos financeiros.

COMENTÁRIOS