Confira a programação da abertura da Semana Mundial de Amamentação

Confira a programação da abertura da Semana Mundial de Amamentação

O evento será na quarta-feira (31), no auditório da Secretaria da Saúde, às 9h30

“Capacite os pais e permita a amamentação, agora e no futuro!”. Esse é o tema da Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) 2019, definido pela Aliança Mundial para Ação em Amamentação. Nesta edição, o objetivo é destacar a importância da participação de todos os familiares próximos para que seja possível o aleitamento materno exclusivo nos seis meses de vida e de forma complementar até os dois anos de idade. 

A Secretaria da Saúde incentiva a amamentação bem como a doação de leite materno. Além de reduzir em 13% a mortalidade por causas evitáveis em crianças menores de cinco anos, a amamentação reduz casos de diarreia, infecções respiratórias, hipertensão, colesterol alto, diabetes e obesidade.  A mulher que amamenta também tem os benefícios para sua saúde. A doação de leite é fundamental para os recém-nascidos prematuros que necessitam de leite materno.  

Na próxima quarta-feira (31), abertura da Semana Mundial de Amamentação, será marcada por palestra e roda de conversa, no auditório da Secretaria de Estado da Saúde.  “O ‘Agosto Dourado’ é um mês muito especial para relembrar a todos a importância da amamentação e, principalmente, conscientizar sobre o papel da doação de leite humano”, afirma a coordenadora do Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros, Andrea Spinola.

A primeira palestra será do Dr. Moises Chencinsk, presidente do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade de Pediatria de São Paulo, com o tema “Empoderar Mães e Pais, Favorecer a Amamentação”. Na sequência, os participantes terão a oportunidade de acompanhar uma roda de conversa, moderada por Mariana Kotscho e Roberta Manreza, que abordará o assunto “Rede de apoio na amamentação Participação de Famílias e Empresa”, com a Doutora Andrea Fernandes, do Centro de Referência em Banco de Leite Humano.  

Como funciona a doação 

O principal critério para ser doadora é a mãe estar amamentando, saudável, produzindo volume excedente de leite e não utilizar nenhum medicamento que impeça a doação. 

“Aqui no banco de leite do Hospital Guilherme Álvaro nós recebemos de 30 até 40 litros de leite por mês. A paciente tem que se dirigir a unidade para fazer o cadastro e retirar o kit. Após isso, a equipe retira o leite na residência da pessoa”, explica o diretor técnico de Saúde do Hospital Guilherme Álvaro, de Santos, o professor universitário e médico infectologista Ricardo Leite Hayden. 

O procedimento é simples: basta comparecer a um banco de leite, onde recebe as orientações necessárias. As interessadas devem preencher um cadastro e apresentar exames laboratoriais de sorologia realizados nos últimos seis meses. Normalmente, os bancos oferecem serviços de busca em domicílio e também disponibilizam um kit (com gorro, máscara e frascos de armazenamento) para garantir a alta qualidade do alimento doado. 

“Meu filho recebeu o leite aqui do Hospital Guilherme Álvaro. Aqui é referência para todas as mães que não conseguem amamentar seus filhos, espero que o Hospital continue sempre nos ajudando”, disse Priscila Gomes Ribeiro, paciente do Hospital. 

Os bebês que recebem o leite materno ficam protegidos contra diarreia e infecções respiratórias, além de reduzi a mortalidade em crianças menores de cinco anos e a diminuição do risco de desenvolver doenças na vida adulta, como hipertensão e diabetes. 

Para as mulheres, a doação de leite evita empedramento das mamas, reduz chance de desenvolver câncer de mama, útero e de ovário. Confira a lista completa de bancos de leite em todo o Estado de São Paulo aqui. 

 Serviço 

Abertura da Semana Mundial de Amamentação  
Local: Secretaria de Estado de Saúde, no auditório  Musolino, na Avenida Doutor Arnaldo, 351, Cerqueira Cesar, São Paulo
Data: 31 de julho
Horário: 9h30 

COMENTÁRIOS