Conheça o trabalho de saúde mental do CRT DST/Aids-SP

Conheça o trabalho de saúde mental do CRT DST/Aids-SP

A atenção em Saúde Mental no CRT DST/AIDS-SP ocorre em todos os núcleos da assistência e está organizada para dar apoio às necessidades dos usuários que vivem com HIV, DST e Hepatites virais, bem como seus familiares e no atendimento a travestis e transexuais no Ambulatório de Atenção Integral a transexuais e travestis.

A atenção aos usuários está disponível, para as várias situações em que ele pode se encontrar, tais como: 
a)
 no momento de recebimento do diagnóstico de HIV ou outra DST,
b) no apoio às pessoas que vivem com HIV – pelo enfrentamento de preconceito, discriminação, para o enfrentamento das orientações institucionais, dificuldades subjetivas e sociais e com sua rede de apoio social; 
c)
 crianças na situação diagnóstica e/ou acompanhamento psicológico ou social e suas famílias,
d) pessoas com diagnóstico ou suspeita de outras DST;
e) Pessoas vivendo com hepatites virais, principalmente as que fazem uso de medicamento, tal como interferon; 
f)
 Pacientes internados e seus familiares;
g) pacientes vivendo com HIV/Aids em domicílio (quando necessário);
h) para travestis e transexuais em processo de terapia hormonal, que pretendem se submeter à cirurgia de redesignação sexual ou quaisquer outra queixa em que se julga necessária atenção desta natureza;
i)
 Psiquiatria – Devido à prevalência mais elevada entre portadores do HIV do que na população geral, de alguns problemas de saúde mental, como por exemplo, transtornos do humor (depressão, hipomania e mania), ansiedade e dependência de álcool e outras drogas, os psiquiatras no CRT ocupam-se principalmente da detecção e tratamento farmacológico destas condições patológicas. O controle de comorbidades psiquiátricas é muito importante para o bem estar geral dos pacientes. Neste sentido inclui-se a facilitação de adesão a tratamentos prescritos, tão importante para que sejam obtidos os melhores resultados possíveis, relativos às intervenções que visam preservar a saúde dos portadores do HIV.

“ É fundamental a ampla cobertura no acompanhamento psicológico do paciente. No CRT estamos disponíveis para auxiliar os pacientes nas mais adversas situações”, afirma Maria Clara Gianna, coordenadora do Programa Estadual DST/ Aids-SP.


A atenção em Saúde Mental no CRT DST/AIDS-SP ocorre em todos os núcleos da assistência e está organizada para dar apoio às necessidades dos usuários que vivem com HIV, DST e Hepatites virais, bem como seus familiares e no atendimento a travestis e transexuais no Ambulatório de Atenção Integral a transexuais e travestis.

“Desde 2000, o Estado de São Paulo já registrou cerca de 70 mil casos de hepatite C e 40 mil casos de hepatite B. Porém, estima-se que existam cerca de 420 mil casos de hepatite C e 80 mil casos de hepatite B não registrados. Por isso, é muito importante que as pessoas realizem os testes para saber se estão infectadas pelo vírus. O diagnóstico precoce das doenças é fundamental para ampliar a eficácia do tratamento”, diz Sirlene Caminada, diretora do Programa Estadual de Hepatites Virais.

COMENTÁRIOS