Consumo de “ovos de Páscoa” deve ser moderado

Consumo de “ovos de Páscoa” deve ser moderado

Especialistas alertam aos cuidados que devem ser tomados com as crianças no período da Páscoa

A Páscoa é uma das datas mais esperadas pelas pessoas em todo o país, principalmente pelas crianças. Elas ficam fascinadas com a variedade de chocolates em diversos formatos, tamanhos e os brinquedos que acompanham os ovos. Mas alguns cuidados são importantes.

A nutricionista Maíra Branco Rodrigues, do Instituto da Criança Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, faz um alerta sobre o consumo exagerado de chocolate. “O chocolate é rico em calorias e gorduras saturadas, e se consumido em grande quantidade, pode elevar os níveis de colesterol e, consequentemente, aumentar o risco de doenças cardiovasculares e ganho de peso”.

De acordo com a especialista, o chocolate amargo – com no mínimo 50% de cacau – é a melhor opção no mercado, já que possui o triplo de antioxidantes quando comparado ao chocolate ao leite. “Apesar desses benefícios, o exagero pode provocar efeitos indesejáveis à saúde. O consumo diário de 30g de chocolate é considero aceitável”.

Em relação à qualidade e conservação do ovo de chocolate, a nutricionista orienta sempre verificar a data de validade, condições da embalagem e armazenamento, que deve ser em local limpo, fresco e seco. “Após aberto, é preciso observar se as características do produto estão preservadas, pois com o tempo de exposição podem aparecer machas esbranquiçadas, e neste caso, o consumo deve ser evitado”.

Paralelamente ao consumo moderado de chocolate, Maíra recomenda combinar o período festivo com uma alimentação saudável rica em frutas, verduras, legumes, carnes, aves e peixes magros, leite e derivados que contenham baixo teor de gordura, açúcar e sal.

COMENTÁRIOS