Crianças cariocas estão mais obesas do que as de SP

Crianças cariocas estão mais obesas do que as de SP

Pesquisa de campo do programa Meu Pratinho Saudável foi realizada em outubro em comunidades carentes das duas capitais; no RJ, 55,7% dos avaliados estavam acima do peso

As crianças e adolescentes cariocas têm mais sobrepeso do que as paulistanas. É o que aponta pesquisa de campo realizada em outubro nas duas capitais pelo programa “Meu Pratinho Saudável”, desenvolvido pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP em parceria com a LatinMed Editora em Saúde.

Foram avaliados cerca de 350 participantes em cada cidade, em comunidades carentes. Na capital paulista a pesquisa aconteceu no bairro de Paraisópolis, durante dois dias seguidos. No Rio a ação foi na Cidade de Deus, pelo mesmo período.

Enquanto na capital paulista 27,8% dos avaliados estavam acima do peso ideal, no Rio de Janeiro esse índice chegou a 55,7% (mais da metade). Todas as crianças e adolescentes passaram por aferição de peso, altura e circunferência abdominal.

No Rio 44,4% dos participantes foram considerados eutróficos, isto é, com o peso correto para sua altura. Em São Paulo o índice de crianças e jovens no seu peso ideal foi de 70,2%.

Em relação aos hábitos alimentares, 71% das crianças pesquisadas no RJ relataram o consumo regular de frituras, 70%, de doces, e 76%, de refrigerantes. Em São Paulo, 75% dos pesquisados consomem muita fritura, 76%, doces e 80,5%, refrigerantes.

As pesquisas foram realizadas durante mutirões de combate à obesidades infantil do programa “Meu Pratinho Saudável”, que levou sua “carreta da alimentação saudável” às comunidades. O veículo, com 22 metros de comprimento, é equipado com duas cozinhas completas, com fogão, forno, geladeira, freezer e demais utensílios.

Trinta e cinco nutricionistas do programa desenvolveram as atividades com as crianças, que receberam orientação por meio de réplicas de alimentos em resina, aprendendo a montar o prato saudável, do café da manhã e dos lanches. Elas também participaram de uma oficina de culinária, onde aprenderão receitas de arroz cremoso e de suco com legumes, com orientações do preparo adequado dos alimentos e do seu aproveitamento.

Na “oficina dos alimentos”, as crianças aprenderam a  fazer escolhas mais saudáveis na alimentação diária e saberão o quanto de açúcar, sal e gordura têm nos alimentos que eles costumam comer no dia-a-dia.

O objetivo da oficina foi chamar a atenção para os malefícios que o consumo exagerado de alguns tipos de alimentos industrializados, como biscoitos recheados, macarrão instantâneo, salgadinhos e achocolatados, podem fazer à saúde. Os itens foram exibidos em quatro monitores de TV de plasma instalados na carreta.

“A obesidade infantil é uma doença que causa problema sérios, como hipertensão, colesterol alto e diabetes. Por isso, é tão importante as crianças e adolescentes saberem fazer refeições saudáveis, e levarem esses hábitos para dentro de casa”, conclui Elisabete Almeida.

Meu Pratinho Saudável

O programa Meu Pratinho Saudável  tem como objetivo combater o excesso de peso na população infantil e facilitar o entendimento do que é uma alimentação saudável. Sua metodologia ensina: metade do prato da criança nas refeições principais deve ser preenchido com verduras e legumes (crus e cozidos) e a outra metade, dividida em 1/4 de alimento rico em proteínas e 1/4 de alimento rico em carboidratos. O café da manhã e os lanches devem conter pelo menos um alimento rico em proteínas, um alimento rico em carboidratos e um alimento de origem vegetal: fruta, verdura ou legume.

COMENTÁRIOS