Crianças são foco na reta final da vacinação contra gripe

Crianças são foco na reta final da vacinação contra gripe

Meta é de que mais de 10 milhões de pessoas sejam imunizadas contra o vírus influenza em todo o Estado

Acaba na próxima sexta-feira, dia 1º de junho, a campanha de vacinação contra o vírus influenza, que já imunizou mais de 5,6 milhões de pessoas desde o dia 23 de abril, de acordo com balanço emitido nesta semana pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. A meta é chegar a 10,7 milhões de pessoas, ou 90% da população-alvo definida para a campanha.

O principal foco nesta reta final da campanha é para que os pais levem as crianças com idade entre 9 meses e 5 anos. Deste público, apenas cerca de 640 mil crianças, ou 25,6% da meta, foram imunizadas. A cirurgiã-dentista Larissa Malavasi, moradora de Sorocaba, levou nesta semana seu filho João Guilherme, prestes a completar 10 meses. “É bom saber que ele estará protegido do vírus, pois nessa idade uma gripe pode ser preocupante”, afirma a profissional da saúde.

Os números também são baixos para as gestantes: até agora foram vacinadas apenas pouco mais de 140 mil gestantes, ou 31,5% da meta. E para as puérperas, ou seja, mães que tivera seus filhos nos últimos 45 dias: foram 42,7 mil, ou 57,8% da previsão. Esses dois grupos tiveram a vacinação liberada na segunda etapa da campanha, a partir do dia 2 de maio.

As melhores coberturas são dos grupos abrangidos na primeira etapa, iniciada em 23 de abril. Até o momento, foram 4,7 mil indígenas (95,6% desse público), 3 milhões de idosos (62,3% das pessoas com 60 anos ou mais) e 637 mil profissionais da saúde (47,8% do grupo).

Na terceira etapa, iniciada no último dia 9, foram vacinados 137,6 mil professores, com 37,9% de cobertura vacinal; e 896,7 mil pacientes com doenças crônicas, o que equivale a cerca de 37% do público de pacientes de asma, diabetes, doenças imunossupressoras e outros males.

“É importante lembrar que a vacinação está disponível todos os grupos até o dia 1º de junho; portanto, o público pode e deve comparecer aos postos”, destaca Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria. Ela aproveita para desmentir boatos de que tomar a vacina pode deixar a pessoa doente. “A vacina não provoca gripe, já que é composta apenas de fragmentos do vírus que causam a devida proteção, mas são incapazes de causar a doença”, explica.

Segundo recomendação da OMS (Organização Mundial de Saúde), a vacina de 2018 irá prevenir a população alvo contra o vírus Influenza dos tipos A (H1N1), A (H3N2) e B. “Aumentar as coberturas vacinais é fundamental para que possamos reforçar a proteção e, por isso, solicitamos aos que ainda não se vacinaram que compareçam aos postos de vacinação”, completa Marcos Boulos, coordenador de Controle de Doenças do Estado de São Paulo.

O governador Márcio França também destaca a importância da prevenção por meio da vacina. “O Influenza é perigoso para idosos e bebês. Pedimos a todos que se dediquem a divulgar essa campanha importantíssima”, recomenda.

 

COMENTÁRIOS