Cuidado humanizado para bebês ajuda prematuros

Cuidado humanizado para bebês ajuda prematuros

 

O recém-nascidos do Hospital Geral de Pedreira, em São Paulo, enfrentam desde muito cedo uma série de complicações causadas pelo nascimento precoce. Para ajudar na recuperação desses pacientes, a instituição promove o cuidado humanizado dos bebês através de métodos terapêuticos como a rede, a mão travesseiro, o chinelinho, o canguru e o banho de ofurô.

“Nós desenvolvemos essa área pensando no grande número de crianças prematuras que nós temos. Diante desse cenário, nós imaginamos algo que pudesse ajudar tanto no desenvolvimento da criança quanto nos laços afetivos entre mãe e bebê”, esclarece Patrícia da Silva Nisivoccia, supervisora de Educação Continuada do hospital.

Entre os benefícios está o aumento de peso, conforto do bebê, diminuição dos casos de infecção e a queda no stress da criança. O uso da mão travesseiro e do ofurô se destacam na iniciativa. “A mão representa e traz a sensação da presença da mãe, porque não trabalhamos apenas com o objeto, mas traz também o cheiro, transferindo para o bebê o cuidado e os aromas que a mãe tem. Já o banho de ofurô está relacionado ao líquido amniótico, em que o bebê está envolto por líquidos na barriga, e o banho traz essa sensação, com calma e padrão respiratório”, explica Patrícia.  

Os pais também recebem um tratamento especial. Marta Lúcia Firmino é mãe de Rafaela, que nasceu pesando menos de 1kg, e recebeu uma foto da pequena e um texto sobre a sua recuperação. “Quando eu li a mensagem, fiquei muito feliz, porque é uma vitória para a bebê e para nós, os pais. É uma atenção muito grande e carinho da parte da equipe”, se emociona.

“Os nascidos com idade gestacional menor que 37 semanas requer diversos cuidados específicos e podem reagir tanto positivamente quanto de forma negativa a estímulos exteriores, que impactam em seu desenvolvimento fisiológico. Desta forma, traçar um plano de cuidados eficiente e individualizado é fundamental”, afirma Adriana Moreira, enfermeira da UTI neonatal do Hospital Geral de Pedreira.

O Método Canguru também é um modelo de assistência ao prematuro e sua família. O bebê prematuro é colocado em contato pele a pele com sua mãe ou com seu pai. Isto ocorre de forma gradativa. Inicialmente os pais tocam seu filho, para depois colocá-lo na posição canguru. Este contato do recém-nascido com os seus pais inicia de forma precoce e crescente, por livre escolha da família, pelo tempo que os pais se sentirem confortáveis.

A utilização do método deve-se à necessidade dos pais participarem mais dos cuidados neonatais. A posição canguru consiste em manter o recém-nascido de baixo peso em contato pele a pele, na posição vertical, junto ao peito dos pais ou de outros familiares.

COMENTÁRIOS