Cuidados com a fala: saiba como ter uma boa saúde vocal

Cuidados com a fala: saiba como ter uma boa saúde vocal

A voz passa muitas vezes como um detalhe mínimo para quem cuida da saúde de maneira geral. Entretanto, o som, resultante da vibração das cordas vocais, é um instrumento de trabalho para cerca de 80% dos profissionais. Isso mesmo, não são apenas cantores, repórteres e locutores que dependem diretamente da fala em suas rotinas. Portanto, é hora de saber como cuidar da saúde vocal para que esse não seja um empecilho no seu dia a dia.

Os cuidados são simples e eficazes, como a ingestão frequente de água. Por isso, tenha sempre uma garrafinha ou copo d’água sempre por perto, para tomar bons goles em intervalos pequenos, afinal, não só para a voz, mas para todo organismo, água nunca é demais. “Água deixa as pregas vocais constantemente hidratadas, uma proteção fundamental para a voz”, afirma a fonoaudióloga Ariana Alves. “A frequência deve ser a cada pequenos intervalos.”

A temperatura da água também precisa de atenção. “Da mesma maneira que não é recomendável pular em uma piscina gelada logo após ir à academia, também não podemos tomar água muito gelada quando fazemos uso constante da voz, pois isso causa traumas nas cordas. O ideal é beber um gole de água em temperatura ambiente a cada 15 minutos do uso da voz”, complementa a também fonoaudióloga Jéssica Toledo.

Ambas as especialistas também alertam para outros hábitos que prejudicam a saúde vocal. Não fumar e não abusar do álcool são dois deles. “Bebidas alcoólicas ressecam as cordas e são as principais causadoras de câncer na laringe”, afirma Ariana, endossada pela colega de trabalho. “Cuidar da saúde de maneira geral colabora com a voz, pois as cordas vocais são músculos como qualquer outro, e são beneficiadas quando todo o quadro é saudável”, completa Jéssica Toledo.

Há pessoas que apresentam voz rouca desde a infância, mas se essa rouquidão piorar, ou aparecer constantemente em quem nunca apresentou o quadro, é preciso estar atento. “Se a rouquidão persistir é necessária uma visita ao otorrinolaringologista, para verificar se é um problema orgânico ou um problema funcional”, alerta Ariana Alves. “A partir dos exames se vê a conduta a ser tomada, e se necessário, visita ao fonoaudiólogo.”

A tradutora paulista Beatriz França passa grande parte do tempo em reuniões e eventos com executivos estrangeiros e afirma que, após os dias exaustivos, em que fala muito, procura ingerir água com gengibre ou chá com gengibre e limão. “Esse hábito me ajuda muito”, garante a profissional. “Uma boa noite de sono para mim também é fundamental”, completa.

Já a telefonista Ivone Gonçalves já partiu para um estágio mais avançado no preparo da voz. “Faço exercícios diariamente. No final do dia, sentia a voz cansada, então os exercícios ajudam bastante, e o melhor é que as práticas são bastante simples.” Esses exercícios consistem em rotação de cabeça, rotação de língua e vibração da língua com som.

 

COMENTÁRIOS