Cuidados paliativos na pediatria é tema de atualização no Hospital Regional de Presidente Prudente

Cuidados paliativos na pediatria é tema de atualização no Hospital Regional de Presidente Prudente

Apesar de ser um tema muito difícil de lidar, os cuidados paliativos estão cada vez mais evidentes na medicina moderna. E para se atualizar e debater sobre o assunto, a equipe multiprofissional da Pediatria e da Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica do Hospital Regional de Presidente Prudente se reuniu nesta quinta-feira (23) com o geriatra e especialista em cuidados paliativos da unidade, José Eduardo Soares Pinheiros.

Psicólogas, nutricionistas, médicas, fonoaudiólogas, enfermeiras, fisioterapeutas e farmacêuticas que trabalham diariamente no atendimento ao paciente pediátrico do HR estiveram presentes no debate.

Para a nutricionista Aryadne Liotto, o principal aprendizado foi entender o que cada profissional pode fazer para proporcionar o máximo de bem-estar e qualidade de vida para os pacientes em cuidados paliativos. “Conseguimos entender o processo dos cuidados paliativos e suas fases. É importante conseguir entender o que cabe a nós trabalhar em cada uma dessas fases para trazer conforto e segurança ao paciente e sua família”, destaca.

A ideia do encontro surgiu da própria equipe, que sentiu a necessidade de estudar e debater sobre o assunto. “Está cada vez mais recorrente na rotina diária de trabalho na pediatria e surgiu a necessidade de uma imersão nesse tema, que é cade vez mais importante dentro da Medicina”, destaca Louise Cristina, preceptora da UTI pediátrica do HR.

O palestrante da noite, que atua no HR com as práticas de cuidados paliativos em várias especialidades, explicou o desafio de se trabalhar esse tema na pediatria. “É muito difícil se falar em cuidados paliativos para crianças, pois espera-se que elas tenham uma vida inteira pela frente. Mas precisamos entender e nos capacitarmos cada vez mais para sempre poder oferecer um tratamento de qualidade e humanizado para o paciente e sua família”, explica José Eduardo.25

COMENTÁRIOS