#DezembroLaranja: cuidados ajudam a evitar câncer de pele

#DezembroLaranja: cuidados ajudam a evitar câncer de pele

Com a proximidade do verão e a chegada das férias, esta é a época mais propícia para doenças de pele, em especial o câncer de pele. Durante a estação as atividades realizadas ao ar livre aumentam e as pessoas ficam excessivamente expostas ao sol, principalmente em horários mais críticos.

Nove a cada 10 pacientes que fazem tratamento no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo relatam em consulta que só passaram a utilizar o protetor solar diariamente após o diagnóstico do câncer, aponta Dr. Caio Lamunier, do serviço de dermatologia do Icesp. Ele explica que o histórico de queimaduras solares na infância aumentam em até 75% as chances de uma pessoa desenvolver um câncer de pele na fase adulta.

“A exposição prolongada ao sol e, sem proteção adequada, causa envelhecimento precoce da pele e contribui com o surgimento deste tipo de câncer, que corresponde a cerca de 30% de todos os tumores malignos registrados no País”, comenta ele.

A melhor forma de combater este tipo de tumor é a prevenção. Por isso, os profissionais recomendam o uso de filtro solar tanto ao ar livre quanto em ambientes fechados. Outra dica importante é evitar o sol entre 10h e 16h, além de usar sempre óculos escuros, chapéus ou bonés com abas largas e guarda-sol, em caso de exposição prolongada em praias ou piscinas.

O técnico de PABX, Vanderlei Martins, que trabalha exposto ao sol todos os dias, relata sobre os perigos de não passar protetor solar todos os dias. “Eu sempre achava que era bobagem passar protetor solar, não ficar exposto ao sol nos horários de sol mais forte, até que minha filha teve um problema de pele”, relata.

Apesar de ser considerado o tumor mais prevalente, o câncer de pele apresenta altos percentuais de cura se detectado no início, é fundamental que as pessoas fiquem alertas aos possíveis sinais. O ideal é examinar a pele de todo o corpo regularmente e procurar um dermatologista se notar alguma pinta anormal.

“É importante prestar atenção nas pintas em crescimento, se apresentam formas e bordas irregulares e mais de uma cor. Às vezes podem causar coceira, dor ou sangramento. Outro sintoma é o aparecimento de feridas ou nódulos que não cicatrizam”, alerta a Dra. Maria Lúcia Fernandes Socci, chefe do serviço de dermatologia do Icesp.

Protetor não é só em dias ensolarados

Engana-se quem acha que o protetor solar é para ser usado só no verão. Ele deve ser usado todos os dias, sem exceção. Seja no frio ou no calor, no dia nublado ou ensolarado a radiação solar está ativa, podendo afetar a saúde da sua pele.

“Não deixo meu filho sair de casa sem passar protetor solar. Eu já deixo o produto ao lado da cama dele, para não me esquecer, isso já virou rotina em nossa família”, explica a advogada Tais Ferreira, mãe de João Pedro, de 4 anos.

COMENTÁRIOS