Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (Forp) reinaugura Centro de Atendimento a Pacientes Especiais

Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (Forp) reinaugura Centro de Atendimento a Pacientes Especiais

A Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (Forp) da Universidade de São Paulo (USP) inaugurou, no dia 11 de novembro, as novas instalações do Centro de Atendimento Odontológico a Pacientes Especiais.

“A reabertura é motivo de grande felicidade para a faculdade, em especial para o Departamento de Clínica Infantil, pois representa a prática do conhecimento gerado e adquirido em benefício da comunidade”, disse ao Jornal da USP a diretora da Forp, Léa Assed Bezerra da Silva.

O reitor da universidade, Vahan Agopyan, salientou a importância da interação da USP com as autoridades locais e o fortalecimento das parcerias. “Os diretores da Forp demonstraram que com vontade, perseverança e garra é possível superar os desafios. Eles conseguiram, mesmo com o orçamento escasso, obter o apoio de empresas, de agências de fomento e da Prefeitura de Ribeirão Preto para levar adiante esses projetos”, afirmou ao Jornal da USP.

Modernização

O centro passou por uma grande reforma para modernização do espaço e adequação às normas de acessibilidade. A clínica possui 20 consultórios e realiza, anualmente, cerca de cinco mil atendimentos a crianças e pacientes considerados especiais, ou seja, pacientes portadores de deficiência física e intelectual, doenças crônicas ou que precisem de cuidados específicos.

“Além do aspecto do ensino e da pesquisa, a assistência social oferecida pela faculdade é espetacular, pois promove o acolhimento, reduz o sofrimento e proporciona melhor qualidade de vida, principalmente aos que não encontram muitas oportunidades”, salientou o prefeito de Ribeirão Preto, Duarte Nogueira, ao Jornal da USP. “O mundo moderno é cada vez mais colaborativo e nós, como cidadãos deste planeta, temos a responsabilidade de zelar pelo bem-estar coletivo”, acrescentou.

Centro de Pesquisa Clínica

No mesmo dia, foi inaugurado o Centro de Pesquisa Clínica, um espaço específico para o atendimento exclusivo de pacientes envolvidos em pesquisas de todas as especialidades da odontologia. A novas instalações possuem doze consultórios, separados por vidro, com ar condicionado e piso especial, seguindo as recomendações de biossegurança para centros cirúrgicos.

“O local sempre foi uma das metas desta administração. É um diferencial de nossos programas de pós-graduação e esperamos que as pesquisas clínicas na Forp avancem não só em quantidade, mas principalmente em qualidade”, explicou o vice-diretor Arthur Belem Novaes Júnior ao Jornal da USP.

A faculdade concluiu melhorias em instalações de apoio. Os Biotérios I e II, que acomodam animais pequenos como roedores e coelhos utilizados nas atividades de ensino e pesquisa, passaram por reforma e adequação de acordo com as recomendações para cada espécie animal.

Apoio

Com a otimização do espaço, a capacidade de acomodação dos biotérios foi ampliada e passou a abrigar 1.800 roedores e 24 coelhos. Também foi inaugurada a Estação de Tratamento de Efluentes de Formaldeído (Biodigestor) para tratamento de esgoto. Por causa de características tóxicas e carcinogênicas, os resíduos de formol exigem tratamento adequado antes de serem descartados.

O novo biodigestor opera em fluxo contínuo e promove a degradação das substâncias tóxicas, minimizando o impacto ambiental. O projeto teve o apoio da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA), de pesquisadores da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (FEA-RP) e do Laboratório de Resíduos Químicos do Campus de Ribeirão Preto.

COMENTÁRIOS