Emílio Ribas realiza simpósio sobre zika

Emílio Ribas realiza simpósio sobre zika

Três mesas redondas vão discutir, dentre outras coisas, os desafios dos laboratórios e as questões relacionadas à prevenção individual

O Instituto de Infectologia Emílio Ribas, unidade da Secretaria de Estado da Saúde e referência em doenças infectocontagiosas, realiza na próxima sexta-feira, dia 18 de março, o simpósio “Zika: Estratégias de Enfrentamento”.

Serão três mesas redondas com mais de dez especialistas de todo o Brasil debatendo o tema, dente eles, Cláudio Maierovitch, diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, e Pedro da Costa Vasconcelos, diretor do Instituto Evandro Chagas, do Pará. O evento é voltado para profissionais da área da saúde, que podem participar pessoalmente mediante prévia inscrição. Dentre os temas mais relevantes estão as questões relacionadas à prevenção individual e os desafios dos laboratórios.

“O objetivo do simpósio é promover a troca de experiências, entre os profissionais de saúde, visto que o tema é muito novo até mesmo para os pesquisadores, ao mesmo tempo em que estamos lidando com uma emergência de saúde pública”, disse epidemiologista do hospital Ana Freitas Ribeiro, uma das organizadoras do evento.

O simpósio estará aberto para a cobertura da imprensa e os especialistas estarão disponíveis para entrevistas após a participação individual nas mesas redondas.

O evento começa as 8h e tem previsão de encerramento para as 12h30. Ele será transmitido na íntegra ao vivo pelo link grupozoe.com.br/emilioribas. O hospital fica na avenida doutor Arnaldo, 165, Pacaembu.

8hABERTURA

 

Geraldo Reple Sobrinho

(Coordenador de Serviços de Saúde do Estado de São Paulo)

 

Sérgio Cimerman

(presidente da Sociedade Brasileira de Infectologia)

 

Luiz Carlos Pereira Júnior

(diretor do Instituto Emílio Ribas)

 

8h30MESA REDONDA 1

O VÍRUS DA EPIDEMIA

 

Coordenação:

Jean Carlo Gorinchteyn

(infectologista Instituto Emílio Ribas)

 

 

Conhecendo o Vírus

Paolo de Andrade Zanotto

(Instituto de Ciências Biomédicas da USP)

Desafios do Laboratório

Pedro da Costa Vasconcelos

(Instituto Evandro Chagas, de Belém do Pará)

Buscando as Evidências

Ana Freitas Ribeiro

(epidemiologista do Emílio Ribas)

discussão

9h45MESA REDONDA 2

MEDIDAS DE VIGILÂNCIA E CONTROLE

 

Coordenação:

Geraldo Reple Sobrinho

(Coordenadoria de Serviços de Saúde do Estado de São Paulo)

 

 

Panorama atual da situação no Brasil

 

Claudio Maierovitch Henriques

(diretor do Departamento de Vigilância de Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde)

Vigilância Epidemiológica

Giselda Katz

(Centro da Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo)

Controle Vetorial

Margareth Capurro-Guimarães

(Instituto de Ciências Biomédicas da USP)

 

Prevenção individual

Jessé Reis Alves

(Instituto de Infectologia Emílio Ribas)

Discussão

 
11h30MESA REDONDA 3

ASPECTOS CLÍNICOS

Coordenação:

Rosana Richtmann

(Instituto de Infectologia Emílio Ribas)

História Natural

Ralcyon Teixeira

(Instituto Emílio Ribas)

Complicações Neurológicas

Augusto Penalva de Oliveira

(neurologista do Instituto Emílio Ribas)

Manifestações Fetais

Saulo Duarte Passos

(Instituto Emílio Ribas)

Discussão

 

 

COMENTÁRIOS