Endometriose causa dores, mas pode ser silenciosa

Endometriose causa dores, mas pode ser silenciosa

A endometriose é responsável por muitas cirurgias no Estado de São Paulo. A doença é caracterizada pela presença de células do endométrio, mucosa que reveste o útero, fora do lugar. Em vez dos resíduos saírem na menstruação, como normalmente ocorre, eles sobem pelas trompas e caem na parte interna da barriga.

É comum que a endometriose ocorra no ovário, mas pode atingir todo o útero por fora, além do rim, intestino, pulmão e a cavidade abdominal.  Os sintomas são cólica aguda, dor durante a relação sexual, infertilidade feminina e sangramento intenso durante o período menstrual.

As causas da doença ainda não estão estabelecidas, mas há evidências que indiquem a combinação de fatores genéticos, hormonais e imunológicos que contribuir para a formação dos focos.

“Essa doença afeta muito a parte psicológica da mulher, e os sintomas são extremamente incômodos. Ela não consegue trabalhar, se divertir ou ter relações sexuais e acaba ficando irritada com a situação. Nos casos em que há infertilidade, ainda é preciso lidar com a frustração. Além disso, na maioria das vezes, o companheiro não entende o que a mulher está passando, o por quê de ela não conseguir ter relações e isso pode acabar estremecendo o relacionamento”, ressalta o ginecologista André Luiz Malavasi.

Nos casos leves de endometriose, a pílula anticoncepcional pode funcionar como tratamento, fazendo com que não haja mais menstruação e sangramento. Em casos mais graves, a utilização do DIU com progesterona alivia os incômodos da doença. É possível, também, realizar a cirurgia através de videolaparoscopia, buscando os focos de endometriose e cauterizando a cavidade. Se o tratamento for realizado corretamente, as chances da doença voltar são mínimas.

COMENTÁRIOS