Especialistas alertam sobre consumo de chás e hidratação inadequada no inverno

Especialistas alertam sobre consumo de chás e hidratação inadequada no inverno

Com a chegada das baixas temperaturas, o Hospital Estadual de Transplantes Euryclides de Jesus Zerbini faz um alerta sobre os cuidados com a falta de hidratação e o excesso de chás durante o inverno. Hábitos inadequados podem impactar negativamente a saúde, com casos de intoxicação, infecção urinária e cálculos renais, por exemplo, segundo especialistas da unidade.

Durante o inverno, o consumo de bebidas quentes, incluindo as infusões com ervas, tem aumento significativo. Apesar de saboroso, o chá deve ser ingerido com moderação. De acordo com a especialista em Gastroenterologia, Hepatologia e coordenadora da equipe de transplante hepático, Carolina Pimentel, não há um limite seguro para o consumo de bebidas derivadas de ervas e plantas ditas medicinais. “Ao contrário do que a população imagina, alguns tipos de chás podem provocar graves intoxicações ao fígado independentemente da quantidade consumida. Por esse motivo, é preciso ficar atento às limitações de cada pessoa e a erva utilizada”, explica.

Segundo ela, diversos relatos de pacientes sugerem problemas causados por chás comuns como o verde, cascara sagrada, cavalinha e até outros mais atípicos e que podem causar dano ainda maior ao fígado. A má informação no consumo pode levar a sérias complicações de saúde como inflamação e até perda do fígado, algumas vezes com necessidade de transplante.

Outra alerta para esta época do ano é a importância de uma hidratação adequada. “A falta de água é um dos principais fatores para a formação das chamadas ‘pedras’. No inverno, as pessoas tendem a tomar menos líquido. Assim, a urina fica concentrada, o que pode favorecer também a formação dos cálculos. Sucos naturais de limão, laranja, melão e melancia, assim como água de coco, ajudam a urinar bastante. Já os refrigerantes não contribuem para a prevenção”, explica o urologista e chefe do Setor de Endourologia e Cálculo Renal do hospital, Fábio Vicentini.

É recomendada a ingestão de pelo menos dois litros de água ou outros líquidos por dia. De acordo com Vicentini, além dos cálculos, a falta de hidratação adequada pode aumentar a chance de infecções urinárias. “Uma forma prática para verificar se você está hidratado ou não é a cor de sua urina. Se estiver amarelo bem claro, quase transparente, está bom. Amarelo forte significa que está faltando água no corpo e é preciso tomar mais”, conclui.

O Serviço de Urologia do hospital superou a marca de 24 mil procedimentos realizados para a retirada de cálculos renais nos últimos cinco anos. Anualmente, são aproximadamente 4.800 cirurgias nesta especialidade.

O Hospital de Transplantes do Estado de São Paulo fica no Jardim Paulista, zona sul da capital, e atende de forma referenciada, recebendo pacientes encaminhados pelos municípios via central de vagas estadual. É gerenciado em parceria com a SPDM (Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina).

COMENTÁRIOS