Estações Ferraz e Vila Aurora da CPTM recebem campanha de conscientização sobre a hanseníase

Estações Ferraz e Vila Aurora da CPTM recebem campanha de conscientização sobre a hanseníase

As empresas ligadas à Secretaria dos Transportes Metropolitanos (STM) recebem nesta semana ações de conscientização sobre a hanseníase. O objetivo é informar os passageiros da CPTM, do Metrô e da EMTU/SP sobre como identificar a doença, conhecendo sinais e sintomas.

Nesta sexta-feira (31/1), a Estação Ferraz de Vasconcelos, da Linha 11-Coral da CPTM, terá testes de Hepatite C e avaliação de Hanseníase, gratuitamente, das 9h às 13h. Os testes são rápidos e o resultado pode ser conferido na hora. Já na Estação Vila Aurora, das 9h às 12h e das 14h às 16h, haverá uma ação de conscientização sobre a hanseníase

Diagnosticar uma doença de forma precoce é fundamental para um bom tratamento. A Hepatite C é uma infecção viral, transmitida principalmente por meio do sangue contaminado. Na maioria dos casos não apresenta sintomas, porém, na fase mais grave, pode provocar pele amarelada, vômitos, perda de peso e fadiga. Após o diagnóstico, o paciente deve iniciar o tratamento, que pode levar à cura ou conter o avanço da enfermidade.

Já a hanseníase é uma doença crônica e pode ser transmitida de um indivíduo para outro, quando a pessoa infectada não faz o tratamento adequado. A enfermidade atinge principalmente a pele e os nervos próximos à superfície dos tecidos, podendo ocasionar lesões. O aparecimento de manchas brancas ou avermelhadas pelo corpo juntamente com falta de sensibilidade ou dor ao toque são sinais de alerta para a hanseníase. Outros sintomas são dormência, formigamento e fraquezas musculares nas extremidades de mãos, pés e faces.

Muitas pessoas convivem durante anos com a doença sem conhecer os sintomas. Por isso, precisamos que jovens e adultos sejam alertados e se tornem multiplicadores de informações, para evitar o diagnóstico tardio e as sequelas”, alerta o médico Claudio Salgado, presidente da SBH-Sociedade Brasileira de Hansenologia.

A dona de casa, Maria Antônio de Souza, foi diagnosticada com a doença em maio de 2018 e explica importância que teve o diagnóstico precoce. “Eu percebi uma mancha no rosto e depois na perna. Imediatamente procurei um médico que disse que eu estava com hanseníase, para falar verdade, eu não tinha noção o que era. Fui pesquisar, comecei o tratamento e hoje consigo ter uma vida normal, sem nenhuma sequela”.

Atualmente, o Brasil é o segundo país com maior número de novos casos de hanseníase por ano. Em 2018, foram quase 30 mil pessoas infectadas, segundo dados do Ministério da Saúde.

 

SERVIÇO

Campanha de conscientização sobre hanseníase 

 

Testes de Hepatite C e Avaliação de Hanseníase

Local: Estação Ferraz de Vasconcelos (Linha 11-Coral)

Data: sexta-feira, 31/01

Horário: das 09h às 13h

 

COMENTÁRIOS