Estado libera R$ 3 mi à Santa Casa, mas exige auditoria em contas

Estado libera R$ 3 mi à Santa Casa, mas exige auditoria em contas

Secretaria da Saúde de SP também aciona plano de contingência até reabertura do Pronto Socorro

 

 

A Secretaria de Estado da Saúde vai liberar imediatamente R$ 3 milhões para que a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo reabra seu pronto-socorro nas próximas horas. Se necessário, haverá o aporte de novos recursos para o pleno funcionamento da entidade.

A pasta, no entanto, condicionou a liberação de novos recursos à realização de uma auditoria nas contas da entidade, que ao longo dos últimos anos tem sofrido com o aumento expressivo de suas dívidas. Objetivo é ajudar a entidade a aprimorar a gestão de suas contas.

Neste ano, o governo do Estado irá repassar R$ 168 milhões extras para a Santa Casa, além do que ela já recebe pelo atendimento realizado aos pacientes do SUS (Sistema Único de Saúde), o que totalizará R$ 345 milhões em dois anos.

Em razão do fechamento do pronto-socorro da Santa Casa, a Secretaria de Estado da Saúde ativou o Plano de Contingência, acionando seus 40 hospitais da rede estadual na região metropolitana para que ampliem a sua capacidade de atendimento.

A orientação aos cerca de 1.000 pacientes que eram atendidos diariamente na unidade é para que, nos casos que apresentem sintomas de menor gravidade, como resfriado, diarreia, dores de cabeça e mal-estar procurem as 150 AMAs espalhadas por todo o município e unidades de pronto-atendimento próximas às suas residências.

Este encaminhamento gera um impacto inferior a 3 pacientes por unidade/dia. Caso necessário, estas unidades farão encaminhamento aos hospitais de referência. Apenas da rede estadual são 40 hospitais na Região Metropolitana preparados para os atendimentos.

As unidades de Resgate e o Samu foram orientados a encaminhar pacientes graves a outros equipamentos de saúde da rede estadual e municipal .

O governo do Estado de SP tem auxiliado sistematicamente as Santas Casas e hospitais filantrópicos com recursos extras. Somente neste ano pelo programa SOS Santas Casas serão R$ 571 milhões extras para 125 entidades, o dobro do valor repassado nos últimos anos para cobrir a defasagem de valores da tabela do Ministério da Saúde, congelada há anos.

COMENTÁRIOS