Férias tem impacto negativo nos estoques da Pró-Sangue

Férias tem impacto negativo nos estoques da Pró-Sangue

Com a chegada das férias escolares, muitos doadores de sangue do Estado viajam, o que acaba impactando negativamente o nível do estoque nos hemocentros de todo o Brasil. A Pró-Sangue tem um registro histórico de 30% de queda das doações nesse período, a qual se acentua com a alta temperatura registrada nos termômetros. Atualmente, os sangues dos tipos O+, O-, A- e B- encontram-se em nível crítico na instituição.

É por tudo isso que a Fundação faz um apelo para as pessoas a virem doar sangue no mês de janeiro. Sua doação será fundamental para a normalização das reservas.

Mas para isso, a Pró-Sangue dá algumas dicas. É recomendável que os candidatos estejam bem hidratados no dia da doação. De acordo com um estudo feito pela Vanderbilt University Medical Center, nos Estados Unidos, a água sem nenhum aditivo pode ter um papel importante no controle da pressão sanguínea.

Procedimento para doar

Para doar sangue, basta estar em boas condições de saúde, comparecer alimentado ao posto de coleta, ter entre 16 e 69 anos (menores devem consultar site Secretaria da Saúde e maiores de 60 anos devem ter doado ao menos uma vez antes de completar a idade), pesar mais de 50 kg e levar documento de identidade original com foto recente, que permita a identificação do candidato.

“É importante que as pessoas que moram perto de hemonúcleos e bancos de sangue procurem estas unidades para a doação. O sangue e as plaquetas são essenciais para os atendimentos de urgência e emergência”, explica Dante Langhi, diretor da Hemorrede.

É recomendável evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e, no caso de bebidas alcoólicas, 12 horas antes. Se a pessoa estiver com gripe ou resfriado, não deve doar temporariamente. Mesmo que tenha se recuperado, deve aguardar uma semana para que esteja novamente apta à doação.

Outros impedimentos poderão ser identificados durante a entrevista de triagem, no dia da doação. Para tanto, basta acessar o site da secretaria de Estado da Saúde e consultar os pré-requisitos de doação.

Segundo Sandra Montebello, médica da Fundação Pró-Sangue, o alerta para o risco de faltar sangue é constante e independe do atual momento acarretado pela greve. “Crises econômicas em geral afetam o funcionamento do banco. Pessoas não querem faltar ao trabalho e, muitas vezes, não têm dinheiro nem mesmo para o transporte até o hemocentro mais próximo. E se os níveis de estoque baixam ainda mais, a situação poderá ficar preocupante”.

Para mais informações e para que o doador não perca viagem , clique aqui para acessar essas informações.

COMENTÁRIOS