Fuja da infecção urinária; confira dicas

Fuja da infecção urinária; confira dicas

Somente nos hospitais públicos do Estado, 94 pessoas são internadas por dia em decorrência de infecções urinárias, conforme levantamento realizado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo em 2015.

Trata-se de um quadro infeccioso que pode ocorrer em qualquer parte do sistema urinário, como rins, bexiga, uretra e ureteres. São vários os sintomas da infecção urinária, entre eles: dor ou ardência ao urinar, diminuição na quantidade de urina liberada, vontade frequente de ir ao banheiro e mudança no odor da urina. Em casos mais graves, a infecção pode ocasionar febre e até a presença de sangue na urina.

As mulheres são as mais afetadas, devendo ficar mais atentas, principalmente durante este período. É fundamental ingerir bastante líquido e evitar segurar a urina, evitando a proliferação de bactérias. Outros fatores de risco também envolvem alterações da flora vaginal como gestação, questões hormonais, diabetes, imunodepressão e fatores genéticos.

Além das doenças crônicas, a atividade sexual intensa pode aumentar as chances de desenvolver infecção urinária. Após a menopausa, as infecções urinárias podem acontecer com mais frequência.

No calor o problema incomoda ainda mais. Isso deve-se ao fato de ser o período de férias, com hábitos diferentes, tanto em horários quanto na alimentação, desregulando o sistema. Utilizar biquínis por muito tempo, por exemplo, propicia o maior aparecimento de microorganismos que contribuem com as infecções urinárias.

É importante procurar um médico caso sinta os sintomas. Caso se agrave, a infecção urinária pode levar danos irreversíveis ao rim, risco de infecção do sangue com risco de vida, aumento no risco de grávidas darem luz a bebês.

Por isso, fique atento: ingira bastante água, evite reter a urina e use camisinha.

Confira 7 dicas para prevenir infecção urinária (em homens e mulheres):

  1. Ingerir bastante água ou outros líquidos (como sucos) por dia;
  2. Evitar segurar a urina;
  3. Higienizar as áreas genitais antes e depois de relações sexuais;
  4. Após a evacuação, ao higienizar a vulva e região perianal, limpar sempre no sentido de frente para trás, para evitar que bactérias passem do ânus para a vagina;
  5. Evitar ações que diminuam o sistema imunológico;
  6. Evitar manter a bexiga cheia e urinar pelo menos de quatro em quatro horas (exceto durante a noite);
  7. Não utilizar sungas ou biquínis molhados por muito tempo.
  8. Adotar uma dieta rica em fibras e ingerir sucos de frutas ácidas;

 

COMENTÁRIOS