Governo de SP realiza repasse para saúde da Baixada Santista

Governo de SP realiza repasse para saúde da Baixada Santista

O Governador em exercício Cauê Macris, o Secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, o Diretor de Sistemas Regionais da Sabesp, Ricardo Borsari, e o Diretor de Tecnologia, Empreendimentos e Meio Ambiente, Edison Airoldi, anunciaram na tarde deste domingo (15), em Itanhaém, investimentos de mais de R$ 170 milhões em obras para municípios da Baixada Santista.

Os recursos serão usados nos sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário de Peruíbe, Mongaguá e Itanhaém. As cidades recebem novas etapas dos programas Água no Litoral e Onda Limpa, que ampliarão a segurança hídrica e a flexibilidade operacional, bem como a melhoria da saúde pública e da balneabilidade de rios e praias.

“Cada R$ 1 que a gente investe em saneamento básico, nós economizamos R$ 4 em saúde. É um investimento na saúde e na qualidade de vida”, enfatizou Marcos Penido.

Fortalecimento da Saúde na Baixada

Macris também autorizou, em Itanhaém, a celebração de convênio de R$ 800 mil para a Prefeitura, destinado ao início das obras de uma nova Unidade de Saúde da Família, no bairro Guapurá. O recurso será aplicado na terraplanagem e fundação, construção de toda a estrutura, instalação elétrica, cobertura e acabamento da unidade. A Prefeitura será responsável pelas obras, bem como pelo processo licitatório para contratação de empresa executora.

Mais cedo, em Bertioga, foi assinada a autorização de liberação de R$ 900 mil para o município. Os convênios estão em fase de formalização.

“Viemos aqui em Bertioga assinar convênios importantes que já tinham sido discutidos no passado com o Prefeito. Foram R$ 500 mil para a área da saúde. Na área do custeio R$ 250 mil para a área social e R$ 150 mil para que o Prefeito possa comprar uma nova ambulância para o município”, afirmou o Governador em exercício.

Na sequência, Macris complementou: “O Governo de São Paulo tem sido, ao longo do tempo, descentralizador, fazendo com que o recurso do Estado vá para a conta, principalmente para as cidades, sendo um governo municipalista.”

COMENTÁRIOS