Governo lança Festival de Sopas na rede Bom Prato

Governo lança Festival de Sopas na rede Bom Prato

O Governo do Estado lançou nesta quarta-feira o Festival de Sopas na rede Bom Prato. O evento, realizado na unidade de Paraisópólis, contou com a participação do secretário de Estado de Desenvolvimento Social, Gilberto Nascimento, em evento na unidade Paraisópolis, na capital.

A novidade chega para ser uma opção quente e saudável durante o inverno e fica nos restaurantes até o dia 31 de agosto, quando serão servidas 300 refeições, por R$ 1, de segunda à sexta-feira, a partir das 17h. O cardápio do dia no lançamento foi de caldo de feijão, composto por feijão carioquinha, macarrão argolinha, cenoura, bacon e carne, além do pão francês.

Segundo o secretário Gilberto Nascimento, é prioridade do governo de São Paulo garantir a segurança alimentar da população. “O Festival de Sopas no Bom Prato se inicia como um apoio nutricional e calórico para população em vulnerabilidade social, no período de inverno, época do ano em que é preciso de energia extra para aquecer o corpo”, destaca.

Cada dia terá um cardápio diferenciado, incluindo sopa de feijão, sopa de mandioca, caldo verde, sopa de legumes, sopa de legumes com macarrão, canja e sopa de abóbora. As sopas terão em média 350 calorias em porções de 300 ml, acompanhadas de um pão francês.

“Eu faço 1,2 mil pratos por dia, é muito gratificante. Ver o povo elogiando a minha comida”, conta a cozinheira Verônica Souza, funcionária da unidade Bom Prato de Paraisópolis.

Das 53 unidades do Bom Prato, 18 participarão do festival. São elas: Brás, Brasilândia, Capão Redondo, Grajaú, Guarulhos, Itaquera, Jundiaí, Lapa, Limão, Limeira, Paraisópolis, Rio Claro, Santo Amaro, São Mateus, Taboão da Serra, Taubaté, Tucuruvi e Vila Nova Cachoeirinha. A escolha dos restaurantes segue critérios técnicos, entre eles, demanda do local.

Sopas são opções saudáveis e nutritivas

Além de altamente nutritivas, as sopas e caldos podem ser igualmente deliciosos. E mais: podem ser uma ótima opção para manter o corpo aquecido e alimentado, sem exagerar na ingestão de carboidratos, tão procurados nos dias mais frios.

“A necessidade calórica de cada pessoa não costuma ser tão alta quanto a quantidade de alimentos ingerida no inverno”, destaca a médica Elisabete Almeida. Somado a esses fatores, é no inverno que as pessoas costumam abandonar a prática de atividades físicas e as comidas calóricas são ainda mais tentadoras. “O consumo exagerado pode resultar em aumento de peso e, em casos extremos, diabetes descompensado e colesterol alto”, afirma.

Algumas orientações podem ajudar a evitar esses problemas, com adaptações das preparações mais consumidas no clima frio, como sopas, carnes, chás e fondues. O controle da alimentação, no entanto, deve ser feito com bom senso. “Se a pessoa quer emagrecer, não deve nunca partir para uma restrição alimentar muito rígida, pois as ‘dietas da moda’ podem causar sérios prejuízos à saúde”, ensina a nutricionista Denise Evazian, do Instituto Central do HC-FMUSP.

Sobre o Bom Prato

Criado há 17 anos, a rede de restaurantes populares oferta alimentação balanceada e de qualidade (almoço e café da manhã) com foco na população de baixa renda, idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade social.

No Estado de São Paulo, o Bom Prato é coordenado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social e atende diariamente cerca de 90 mil refeições. Desde a inauguração em 2000, já serviu mais de 202 milhões de refeições e investiu mais de R$ 565 milhões.

Há 53 unidades em funcionamento, sendo 22 localizadas na Capital, nove na Grande São Paulo, seis no litoral e 16 no interior. O almoço tem custo de R$ 1, com alimentação balanceada de 1.200 calorias. O café da manhã é oferecido leite com café, achocolatado ou iogurte, pão com margarina, requeijão ou frios e uma fruta da estação. A refeição, de 400 calorias em média, custa R$ 0,50 ao usuário.

COMENTÁRIOS