Gravidez de risco exige cuidados e alimentação saudável ‘

Gravidez de risco exige cuidados e alimentação saudável ‘

Na adolescência, a gravidez pode ser de risco uma vez porque o organismo ainda está em formação e há tendências para quadros de hipertensão. Após os 36 anos, no entanto, há uma chance maior de risco pelo envelhecimento dos óvulos, com possíveis casos de má formação fetal.

“Devido aos progressos da medicina, as mulheres têm conseguido ser mãe até depois da menopausa com um tratamento adequado, mas o melhor período, segundo a biologia, é dos 18 até os 35 anos. No entanto, temos observado que as mulheres têm engravidado em fases tardias, o que pode colocá-las em uma gravidez de risco”, afirma Maria Rita.

Desta forma, a melhor prevenção é através do pré-natal precoce, que vai oferecer uma assistência adequada a gestante. Segundo a diretora obstétrica, “é importante que a gestante tenha uma dieta adequada, evitando engordar demais durante a gravidez e que ela mantenha uma atividade física”. Essas atitudes podem evitar problemas à saúde tanto da mamãe e quanto do bebê.

Robéria Caetana, professora, está grávida de sete meses e mudou os hábitos desde que descobriu que teria uma bebê. “Eu tento não tomar refrigerante, evitar chocolate, doces em geral e frituras, porque se não faz bem para os adultos, também não pode ser positivo para as crianças”, comenta.

A nutricionista Francisca Rosemary de Moraes ressalta as orientações para as futuras mamães. “A gente orienta para que tenham uma dieta saudável e equilibrada, rica em frutas, legumes e vegetais, com uma média de seis refeições diárias, pelo menos, além de beber muita água”.

Com oito meses de gestação do quinto filho, Joelma Vieira já sabe bem deve evitar. “Me alimento com muitas frutas e verduras para que a criança venha saudável e forte, evitando doenças”.

COMENTÁRIOS