HC de Botucatu lança ‘sino da alegria’ para pacientes celebrarem fim do tratamento contra o câncer

HC de Botucatu lança ‘sino da alegria’ para pacientes celebrarem  fim do tratamento contra o câncer

Setor de Radioterapia foi reformulado e, agora, conta com um sino que será tocado por cada paciente, ao final do tratamento

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu lançou uma iniciativa para pacientes celebrarem o fim do tratamento contra o câncer: um sino foi instalado no setor de Radioterapia e será tocado ao término do ciclo, por cada paciente.

A sala de espera do setor foi reformulada e, na última quarta-feira, 8 de maio, houve a inauguração do espaço e uma confraternização em comemoração ao Dia das Mães, que ocorre neste domingo, 12 de maio.

Segundo Loren Giagio Cavalcante, enfermeira responsável pelo setor, o projeto de humanização foi idealizado pela residente em Física Médica Maricy Ramos Martins e contou com o auxílio de todos. “Gostaríamos de inaugurar as fortes badaladas do sino fixado em uma parede carinhosamente desenhada em uma data especial como o Dia das Mães. Toda a equipe colaborou para a concretização deste projeto que reflete, em seu simbolismo, a importância de transmitir aos pacientes uma mensagem positiva e marcante daquele momento vivido”, afirma.

Os ex-pacientes Fernando Amando de Barros e Francisco Ribeiro Tobias, acompanhados de seus familiares, foram os primeiros a tocar o sino da alegria e esperança pela área. Emocionados, expressaram a importância de celebrar a vitória contra o câncer e contagiaram os pacientes presentes.

A artista plástica Cissa Raphael contribuiu para a renovação da sala de espera com a pintura de várias borboletas que, com sua metamorfose, representam a transformação passada pelos pacientes durante todo o tratamento. Foram escolhidos tons de azul, que tornam o ambiente mais tranquilo e acolhedor. “Há muito tempo eu queria trazer um pouco de arte para cá e este sonho se realizou. Não tenho palavras para descrever a alegria de poder colaborar de alguma forma. Minha mãe fez um tratamento aqui há pouco tempo e está curada, sendo uma inspiração para mim também”, declara.

COMENTÁRIOS