HC dobra atendimento de pacientes com câncer de pele

HC dobra atendimento de pacientes com câncer de pele

Ambulatório de terapia fotodinâmica ganhou novos equipamentos

O Ambulatório de Terapia Fotodinâmica da Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP ganhou novos equipamentos que permitirão dobrar os atendimentos de pacientes com lesões pré-cancerosas ou com alguns tipos de câncer de pele menos agressivos, que são os mais comuns na população.

De 80 atendimentos por mês, o ambulatório passará a realizar 160. Pacientes transplantados também serão beneficiados com a terapia pela eficácia do tratamento. O investimento foi de cerca de R$ 100 mil.

O ambulatório ganhou novos equipamentos, mobília e divisórias retráteis que irão possibilitar a comunicação de duas salas e facilitação dos estudos.

A terapia fotodinâmica é indicada no tratamento de queratoses actínicas, carcinoma basocelular superficial e carcinoma espinocelular “In Situ”.

“É um dos procedimentos mais avançados e sofisticados no tratamento dessas lesões’, explica o médico Luiz Antônio Torezan. Não há corte, consegue tratar uma área razoavelmente grande, em 1 ou 2 sessões, dependendo do caso, e não deixa cicatriz. Esteticamente a resposta é muito boa.

Outra vantagem é que o procedimento também trata lesões pré-cancerosas ainda invisíveis presentes nas regiões próximas às lesões tratadas, acrescentou o dermatologista Beni Grinblat.

O Hospital das Clínicas é um dos poucos centros hospitalares públicos do Brasil a contar com a terapia, que já beneficiou mais de mil pacientes desde 2006. Ela consiste na utilização de uma fonte de luz, aliada a uma substância fotossensibilizadora que reage quando exposta a essa luz.  A combinação da incidência da luz sobre a região da pele onde é aplicada a substância forma uma reação de destruição das células doentes e cicatrização do tecido lesado.

Outra forma de se aplicar a terapia fotodinâmica e através da luz natural do sol.  O  método é indicado apenas para tratamento de queratoses actinicas finas e tem a vantagem de ser indolor e tratar grandes áreas e múltiplas lesões.

O paciente recebe protetor solar específico para que a radiação ultravioleta seja bloqueada durante o tratamento e, em seguida, o creme fotossensibilizante. Após, o paciente é orientado a se expor a luz do dia, por um determinado período.

COMENTÁRIOS