HC dobra capacidade para cirurgia de redução do estômago

HC dobra capacidade para cirurgia de redução do estômago

Maior complexo hospitalar da AL também entrega nova UTI para ampliar em 75% internações, serviço de mamografia digital, clínica obstétrica totalmente modernizada e 25 novos leitos para tratamento de câncer infantil

          O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, maior complexo hospitalar da América Latina, ligado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, ganhou um Centro de Referência em Cirurgia Bariátrica e Metabólica que irá permitir duplicar a capacidade de procedimentos para redução do estômago na unidade.

O complexo também ganha nova UTI para ampliar internações, serviço de mamografia digital, uma clínica de obstetrícia totalmente modernizada e 25 novos leitos para tratamento de câncer infantil. O pacote de inaugurações, que contou com investimentos de R$ 26,9 milhões por parte do governo do Estado, faz parte das celebrações do aniversário de 70 anos do HC, completados no último mês de abril. As novas instalações foram entregues pelo governador Geraldo Alckmin na tarde desta terça-feira, 1º de julho.

Foram investidos R$ 2,5 milhões para a criação do novo centro de cirurgia bariátrica. O local conta com 16 leitos e área de internação exclusiva para tratamento pré e pós-operatório de obesos.

Para receber pacientes portadores de obesidade mórbida ou síndrome metabólica, foi construída uma estrutura especial com camas elétricas para suportar até 400 kg, poltronas especiais, quartos com área de 22 metros quadrados e banheiros reforçados.

Atualmente, o Hospital das Clínicas realiza cerca de 200 cirurgias bariátricas por ano. Com o novo centro, a capacidade aumenta para 400 procedimentos anuais. Uma equipe multidisciplinar de 40 profissionais, formada por médicos, enfermeiros, nutricionistas, psicólogos, psiquiatras, fisioterapeutas e assistentes sociais,vai atender os internados que passarem pela cirurgia de redução de estômago.

“O novo centro integra estruturas de centro cirúrgico e internação em benefício aos pacientes da rede pública de saúde que necessitam desse tipo de intervenção”, afirma Giovanni Guido Cerri, diretor da Faculdade de Medicina da USP.

“Será um serviço de ponta, que reunirá o que há de mais moderno para atendimento aos portadores de obesidade mórbida e com uma equipe altamente capacitada”, diz David Uip, secretário de Estado da Saúde de São Paulo.

A cirurgia bariátrica é o recurso para os pacientes com IMC (Índice de Massa Corpórea) igual ou acima de 40 kg/m2 ou aqueles com IMC entre 35 e 40 Kg/m², com a presença de doenças associadas, que não responderam ao tratamento feito com medicamentos, dieta, psicoterapia e atividade física. A Divisão de Cirurgia do Aparelho Digestivo é pioneira no tratamento da Obesidade Mórbida desde a década de 70, tornando-se uma das prioridades de atendimento da especialidade nos últimos anos.

Cerca de 40% dos obesos tratados pelo HC apresentam IMC acima de 50 kg/m², o que caracteriza uma situação de “superobesidade”, afirma o Dr Marco Aurelio Santo, Diretor da Unidade, destacando a necessidade de adequado preparo pré-operatório. Para os pacientes com IMC superior a 60 kg/m2, a Unidade de Cirurgia Bariátrica criou um “Spa” no Hospital Auxiliar de Suzano, na região metropolitana da Grande São Paulo, para a adequada perda de peso pré-operatória e diminuição de riscos para complicações, . Os internados ficam no local por períodos prolongados e recebem toda a assistência necessária para a intervenção cirúrgica.

Nova UTI

O Hospital das Clínicas também entregou nesta terça-feira a nova UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de suas divisões de Gastroenterologia e Hepatologia Clínica, Cirurgia do Aparelho Digestivo e Coloproctologia e de Transplantes de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo.

Com a reforma, que recebeu R$ 3,6 milhões em investimentos do governo do Estado UTI vai aumentar em 75% o número de atendimentos para pacientes portadores de doenças do aparelho digestivo e transplantados e vai passar de 80 até 140 internações por mês.

A área de 582 m² tem 16 leitos em quartos individuais para internação, equipados com computadores que agilizarão as prescrições médicas. Os vidros polarizados irão facilitar o acompanhamento da enfermagem e proporcionar total conforto ao pacientes.

Há espaços de apoio como sala de reuniões, sala de suprimentos, quartos para médicos plantonistas, depósito de material e vestiário para funcionários.

A iluminação natural também foi priorizada em respeito ao meio ambiente. O piso recebeu manta vinilica e as paredes, laminados. Duas ilhas foram instaladas estrategicamente no centro da unidade – uma para o atendimento da enfermagem e outra para a equipe médica. Sala para discussão de casos e preparo de medicação fazem parte das melhorias.

Mamografia

         O HC ganhou novas instalações do seu Serviço de Mamografia do Instituto de Radiologia (InRad). O investimento do governo do Estado foi de R$ 1,7 milhão.

Com as obras, o espaço passou de 193 m² para 325 m².Também houve a construção de cinco salas de exames, com dois ultrassons, dois mamógrafos digitais e uma mesa para exterotaxia dedicada a biópsia da mama).

Com os novos investimentos, a área irá aumentar em 78% o número de exames realizados, entre mamografia, ultrassom e biópsias, passando de 1.400 para 2.500 procedimentos mensais.

Além das salas de exames e áreas de apoio, o serviço contará com espaços adequados como sala de laudos composta por sete postos, área para enfermagem e repouso de pacientes, vestiários e salas de esperas.

Com a reforma e instalação de equipamento de mamografia digital com tomossíntese o Serviço de Mamografia eliminou a revelação de filmes, passando a trabalhar somente com imagens digitais, como acontece em todas as outras áreas do InRad, que agora passa a ser 100% digital.

Clínica obstétrica

O HC inaugura também a sua nova Clínica Obstétrica, no Instituto Central.

A reforma, que recebeu investimento de R$ 9 milhões do governo do Estado, resultará em melhor qualidade assistencial, eficácia dos serviços, comodidade e conforto às gestantes. A inauguração faz parte das comemorações dos 70 anos do HC-FMUSP, completados em abril.

A unidade de emergência da nova clínica obstétrica será composta por dois consultórios médicos, uma sala de exames de ultrassonografia e cardiotocografia e unidade de observação, com três leitos, para gestantes que necessitam ser reavaliadas em até 12 horas.

Já os ambulatórios dispõem de nove consultórios médicos, uma sala para colposcopia, sete salas para exames de ultrassonografia, sala de exame cardiotocografia, com quatro poltronas, três salas de pré e pós-consultas, sala de medicação e salas para atendimento do serviço social, psicologia e nutrição. A recepção tem cinco guichês e acomodação para 48 pessoas e fraldário.

As obras também contemplaram a unidade de internação da obstetrícia. A ala de alojamento conjunto, com 15 leitos, permite que o recém-nascido, logo após o nascimento, permaneça com a mãe num mesmo ambiente, até a alta hospitalar.

Em média, a obstetrícia do HC atende cerca de 3.200 mulheres por mês, com gravidez de risco, que passam por consultas e exames de pré-natal. No atendimento de urgência são mais de 700 grávidas, com doenças que exigem tratamento multidisciplinar para restabelecer a saúde da mãe e do bebê.

Tratamento do câncer infantil

         O Instituto de Tratamento do Câncer Infantil (Itaci), vinculado ao Instituto da Criança do HC-FMUSP, ganha 25 novos leitos de Onco Hematologia. São seis leitos de internação, 13 de terapia intensiva e seis leitos de transplantes alogênicos, além da reforma do ambulatório e do hospital dia.

Com a conclusão da reforma, adequação e ampliação da área física do Itaci, que recebeu investimentos de R$ 10,1 milhões do tesouro estadual e mais R$ 3,9 milhões da sociedade civil, possibilita duplicar a capacidade instalada de atendimentos. A Secretaria da Saúde vai destinar mais R$ 17,7 milhões para o custeio do serviço.        

COMENTÁRIOS