HC realiza 1º transplante de útero da América Latina

HC realiza 1º transplante de útero da América Latina

Cirurgia inédita, que teve dez horas de duração, irá possibilitar que a paciente engravide

 O Hospital das Clínicas da FMUSP realizou, na última semana, o primeiro transplante de útero da América Latina. Com o procedimento realizado e bem-sucedido, mulheres que receberem o órgão poderão, por exemplo, engravidar e dar à luz. A paciente está evoluindo bem.

A mulher que recebeu o útero tem a síndrome de Rokitanski, e por isso nasceu sem este órgão. A doadora teve morte cerebral. O útero dela foi colocado no corpo da receptora, quando foram religadas todas as veias e artérias, assim como a saída do útero para a vagina, em uma cirurgia de 10 horas de duração. Estes cuidados são importantes para que se preserve a camada interna do útero, o endométrio, onde o embrião se fixa para dar início à gravidez.

Meses antes da cirurgia, a equipe do centro de reprodução humana do HC realizou a estimulação da ovulação, a coleta dos óvulos e a fertilização in vitro. Os embriões gerados devem ser mantidos congelados até que possam ser colocados no útero transplantado e então gerar uma gravidez.

Uma equipe do HCFMUSP foi enviada para a Suécia em março deste ano para aprimoramento da técnica com a equipe do Prof. Dr. Mats Brännström em Gotemburgo (primeira equipe a realizar transplante uterino com sucesso no mundo, em 2014). Mais recentemente o grupo considerou a parte técnica consolidada e, no último mês, iniciou a parte clínica, com captação uterina em doadora falecida.

O grupo de Transplantes de Órgãos do Aparelho Digestivo do HCFMUSP tem vasta experiência, com quase 2 mil transplantes realizados. O projeto é coordenado pelos professores Prof. Dr. Luiz Augusto Carneiro D’Albuquerque e Prof. Dr. Edmund Chada Baracat.

COMENTÁRIOS