HEB promove ação educativa no dia mundial de combate às hepatites virais

HEB promove ação educativa no dia mundial de combate às hepatites virais

Em 15 anos o tratamento evoluiu e, hoje, a chance de cura chega a 92%

Na próxima quinta-feira, 28, é celebrado o Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais. Na data, profissionais do Hospital Estadual de Bauru (HEB), unidade sob a gestão da Famesp, promoverão ações de conscientização ao público presente. Palestras educativas e preventivas serão ministradas nas salas de espera do Hospital ao longo do dia para cerca de 700 pessoas. Além disso, haverá distribuição de panfletos com informações sobre os tipos de hepatite, formas de transmissão, sintomas e formas de diagnóstico.
O Hospital Estadual de Bauru possui há oito anos um ambulatório especializado para a investigação e tratamento de hepatites virais, que atende pacientes de 38 municípios da região. Por mês, são realizadas mais de 150 consultas e cerca de 350 pacientes já foram tratados e curados.
De acordo com o infectologista do HEB, Gustavo Kawanami, em fevereiro de 2002 foi criado o programa nacional de hepatites virais voltado ao atendimento de aproximadamente 2 a 3 milhões de brasileiros portadores da hepatite C.
“Nos últimos 15 anos nenhuma outra doença infecciosa passou por uma revolução tão grande em relação ao tratamento da hepatite C.  Em 2002, falávamos de taxas de controle do vírus que não excediam 55%.  Em 2012, instituímos tratamentos almejando taxas de cura próximas a 70%. Hoje (em 2016),  já existem tratamentos mais curtos, com efeitos colaterais exponencialmente menores e chances de cura em torno de 92%”, explica o infectologista.

Sobre a hepatite
Hepatite é a inflamação do fígado que pode ser causada por vírus, uso de alguns remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. A doença é silenciosa e nem sempre apresenta sintomas, mas quando aparecem podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras. O diagnóstico é feito por meio de exames específicos de amostras de sangue para identificação do tipo de vírus que causou a hepatite.
No Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. Milhões de pessoas no país são portadoras dos vírus B ou C e não sabem. Por ano, cerca de 1,4 milhão de pessoas morrem no mundo por conta da doença.
Em 2010, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou o Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais, celebrado todo dia 28 de julho, para alertar e conscientizar a população sobre a importância do diagnóstico precoce, além de esclarecer assuntos sobre o tema como vacinação e tratamento.

Saiba como se prevenir contra as hepatites virais B e a C
– Evitar contato direto com o sangue e não compartilhar materiais que contenham resíduos de sangue, como seringas, agulhas, canudos para aspiração de drogas, escovas de dente, barbeadores, navalhas, alicates de cutícula.
– Utilizar materiais descartáveis ou esterilizados para colocação de piercing e tatuagem (neste procedimento a tinta deve ser de uso individual)
– Usar regularmente e de forma correta preservativos masculinos ou femininos nas relações sexuais.

COMENTÁRIOS