Hemocentro do HC de Botucatu reforça a importância da doação de plaquetas

Hemocentro do HC de Botucatu reforça a importância da doação de plaquetas

 

Você já deve ter ouvido falar sobre a importância da doação de sangue convencional para o tratamento e reestabelecimento da saúde de pacientes. Mas você sabia que também existe outro tipo de procedimento que pode ajudar a salvar até duas vidas? É a doação de plaquetas, também conhecida como doação por aférese. Por isso, o Hemocentro do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Botucatu (HCFMB) quer reforçar a importância da doação de plaquetas.

O sangue é composto de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plasma e plaquetas. As plaquetas ajudam no controle de sangramentos e parte delas pode ser doada sem causar prejuízo algum à saúde do doador. O processo que permite a separação e a coleta específica de plaquetas é chamado de aférese.

O Hemocentro do HCFMB realiza esse procedimento e destaca a importância da doação de plaquetas por aférese. A doação consiste em separar os componentes biológicos do sangue (hemácias, plaquetas, plasma e fatores de coagulação) e, após um processo de centrifugação, o componente desejado é drenado. Assim, as plaquetas, responsáveis pelo controle de sangramentos, são recolhidas e levadas até os pacientes, principalmente oncológicos e transplantados, tendo uma validade de cinco dias.

Segundo o diretor médico do Hemocentro do HCFMB Dr. Thiago Herbst, há algumas diferenças entre a coleta de plaquetas durante a doação de sangue e a realizada por aférese. “Na doação convencional, é necessário, em media, sete doadores para suprir um paciente, enquanto que, na coleta por aférese, um doador pode suprir até dois pacientes, além de minimizar o risco de incompatibilidade por parte do receptor”, afirma.

O organismo do doador repõe as plaquetas em torno de 72 horas após a coleta e o intervalo entre estas doações é de três dias, não ultrapassando quatro vezes por mês. “É necessário possuir bom acesso venoso, que permita a coleta deste tipo, e apresentar boa contagem de plaquetas. Além disso, entre a doação de sangue e de plaquetas, é recomendado um intervalo de 30 dias”, afirma Alba Cristina Albano, enfermeira técnica responsável pelo Hemocentro do HCFMB.

Quem pode doar plaquetas?

Os requisitos para se tornar um doador de plaquetas por aférese não diferem da doação de sangue convencional, sendo necessário ter doado sangue ao menos uma vez (a última doação não pode ultrapassar o prazo de um ano) e não ter ingerido alimentos gordurosos no dia anterior e na própria data da doação.

A biomédica Patrícia Carvalho Garcia, além de ser responsável pela Agência Transfusional do Hemocentro, desde 2017, tornou-se doadora de plaquetas. Patrícia garante que o procedimento é seguro e muito importante para quem mais precisa. “A doação de plaquetas é previamente agendada e totalmente indolor, feita em uma sala à parte em que um enfermeiro acompanha todo o procedimento. Quando você doa, a sensação é de dever cumprido, de entender o verdadeiro sentimento de ajudar alguém”, destaca.

Para mais informações sobre como se tornar um doador de plaquetas por aférese, é necessário entrar em contato com o Hemocentro do HCFMB, no telefone (14) 3811-6041, ramal 240.

 

 

COMENTÁRIOS