Icesp ganha 1º centro de radioterapia fora da capital

Icesp ganha 1º centro de radioterapia fora da capital

Novo serviço, na cidade de Osasco, terá capacidade para realizar cerca de 600 sessões mensais e beneficiará pacientes de 7 municípios da região, que não precisarão mais se deslocar até São Paulo

 A Secretaria de Estado da Saúde entrega nesta quinta-feira, 7 de janeiro, o primeiro centro de radioterapia vinculado ao Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) fora da capital paulista.

O novo serviço, localizado na unidade ambulatorial do Icesp de Osasco, terá capacidade para realizar cerca de 600 sessões radioterápicas mensalmente.

Com a abertura do centro de radioterapia do Icesp Osasco, cerca de 10% dos pacientes deixarão de se deslocar até a capital para fazer a radioterapia, facilitando a locomoção para o tratamento.

Aproximadamente dois terços dos pacientes oncológicos se beneficiam da radioterapia em alguma fase do tratamento e, na maioria dos casos, são necessárias repetidas sessões. Por isso, a disponibilidade do serviço na unidade de Osasco facilitará não somente o acesso, mas também o deslocamento diário aos pacientes da região.

Com custeio anual de R$ 1,2 milhão pelo governo do Estado, o acelerador linear, instalado em um bunker subterrâneo no primeiro subsolo, atenderá pacientes com câncer de mama, próstata, tumores do sistema nervoso central, ginecológicos, do trato gastro intestinal e sarcoma, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Todos os pacientes que iniciarão o tratamento radioterápico na unidade serão, primeiramente, triados pelos especialistas na capital e devem residir dentro dos sete municípios da Rota dos Bandeirantes, que contempla as cidades de Barueri, Carapicuiba, Itapevi, Jandira, Osasco, Pirapora do Bom Jesus e Santana de Parnaíba.

“O Icesp vem ganhando cada vez mais relevância no investimento em tecnologia para o tratamento do câncer, visando não apenas ampliar a oferta de procedimentos aos pacientes como também oferecer qualidade máxima na prestação de serviços”, destaca o diretor geral do Icesp, Paulo Hoff.

COMENTÁRIOS