Icesp recebe “masterchef” Raul Lemos para aula de culinária saudável

Icesp recebe “masterchef” Raul Lemos para aula de culinária saudável

Ação faz parte da campanha “Julho Verde”, de conscientização e combate ao câncer de cabeça e pescoço, e reforça a importância da alimentação na prevenção de doenças

Diretamente da concorrida bancada do MasterChef, da TV Bandeirantes, o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp) recebe, nesta terça-feira (12/7), às 14 horas, o cozinheiro Raul Lemos, finalista da última edição do programa, em 2015, para uma aula de culinária especial, aberta a população.

O chef irá preparar duas receitas simples e de baixo custo, utilizando ingredientes e temperos frescos e “in natura” (de origem vegetal e animal), que são ricos em nutrientes benéficos a saúde. Unindo sabor e nutrição em “refeições caseiras”, a ação reforça a importância da alimentação balanceada na prevenção do câncer e de outras doenças como as cardiovasculares.

Além da saborosa lasanha de abobrinha com cogumelos, que promete agradar até os paladares mais exigentes, o chef também irá preparar uma receita pastosa de creme de vegetais com mandioquinha e zaatar, dedicada aos pacientes que estarão presentes e tiveram câncer na região da cabeça e do pescoço. Os dois sintomas mais comuns do tratamento são a dificuldade para engolir e a perda do paladar, por isso o preparo especial para aliviar esses efeitos colaterais.

As estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca) são de mais de 596 mil novos casos de câncer, apenas nesse ano. O consumo de alimentos com variedade, qualidade e quantidade adequadas é um dos principais fatores na prevenção da doença. “Mais do que buscar uma ‘dieta milagrosa’, que não existe, buscamos ressaltar sempre que uma alimentação equilibrada, com exceções esporádicas, e rica em alimentos naturais, é o que faz a diferença ao longo do tempo”, destaca o nutricionista Vitor Rosa, gerente de Nutrição e Dietética do Icesp.

É comprovado que algumas substâncias como o Ômega 3, encontrado em peixes, diminuem a formação de compostos inflamatórios, o envelhecimento celular e, consequentemente, a proliferação de células tumorais. Já as fibras solúveis, por exemplo, presentes em alimentos como brócolis, couve manteiga e couve-flor, inibem a formação tumoral, diminuindo a possibilidade de mutações genéticas.

Na contramão deste consumo saudável, há os alimentos que são prejudiciais ao bom funcionamento do organismo e podem, inclusive, contribuir com o desenvolvimento de diversos problemas de saúde: os ultraprocessados, que têm em sua composição uma pequena parcela de alimentos naturais, sendo a maior parte destinada a aditivos e substâncias químicas. Esses devem ser consumidos com moderação ou evitados sempre que for possível. “Não podemos reduzir os alimentos a duas grandes listas: ‘heróis’ e ‘vilões’ da alimentação. Os principais erros em nossos hábitos alimentares não estão relacionados, exclusivamente, a ‘o quê’ comemos, mas também ao ‘quanto’ e ‘com que frequência’ nós consumimos alguns desses alimentos”, esclarece o nutricionista.

Cartilha de receitas Icesp

Para ajudar os pacientes em tratamento na unidade a comer melhor, de forma saudável e saborosa, quando estão em suas casas, o Instituto do Câncer elaborou um cardápio de receitas especiais, de alimentos salgados, doces e bebidas.
As receitas, disponíveis à população no site do Icesp, foram criadas para combater sintomas comuns dos pacientes como intestino preso, náuseas, diarreia, boca seca e alterações ou ausência do paladar, entre outras. Confira neste link.

COMENTÁRIOS