Instituto Butantan investirá R$ 25 milhões em Grupo de Ação Rápida para Doenças Emergentes

Instituto Butantan investirá R$ 25 milhões em Grupo de Ação Rápida  para Doenças Emergentes

Os recursos serão investidos na reforma do prédio antes cedido ao Paço das Artes para implantação de grupo dedicado ao estudo de doenças como dengue, zika e chikungunya

O Instituto Butantan, órgão ligado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e um dos maiores centros de pesquisa biomédica do mundo, investirá R$ 25 milhões na reforma do prédio antes ocupado pelo Paço das Artes para a instalação de uma nova unidade de pesquisa, o Grupo de Ação Rápida para Doenças Emergentes (Garde-IB). A área foi reintegrada ao Instituto a partir de acordo entre as secretarias estaduais da Cultura e da Saúde.

O espaço já pertencia ao Butantan e estava cedido à Secretaria de Cultura. Os recursos do Butantan serão investidos na reforma e adaptação do prédio para o funcionamento da nova unidade, que será responsável pela pesquisa de doenças graves e que demandam esforços urgentes e interdisciplinares, como dengue, zika e chikungunya.

“Este espaço será um grande avanço nas pesquisas de doenças emergentes que demandam cada dia mais atenção da saúde pública e ações efetivas para seu monitoramento, tratamento e combate”, afirma o secretário de Estado da Saúde de São Paulo, David Uip.

Ao mesmo tempo, a Secretaria de Saúde dará início aos estudos de viabilidade de transferência à Cultura de uma área na Rua Tenente Pena, no Bom Retiro, visando a implantação do Paço das Artes. O local do antigo Desinfectório Central é um amplo complexo de edificações no qual também está inserido o Museu de Saúde Pública Emílio Ribas, do Butantan.

Inaugurado em 1970, o Paço das Artes já ocupou diversos locais e, desde abril, promove suas atividades no Museu da Imagem e do Som (MIS) e na Oficina Cultural Oswald de Andrade. "O Paço das Artes no Bom Retiro integrará uma área de intensa vida cultural por estar próximo de equipamentos como a Pinacoteca do Estado, Sala São Paulo, Oficina Cultural Oswald de Andrade e Memorial da Resistência", afirma Marcelo Araújo, Secretário da Cultura do Estado.

O Garde-IB reunirá um grupo de 30 pesquisadores do Butantan e atuará em diversas frentes, desde pesquisa básica até pesquisa aplicada, envolvendo, também, o desenvolvimento de novos produtos de saúde. “O objetivo é ter um núcleo de vanguarda em pesquisa nas áreas de Biologia Molecular e Biologia Celular que, a partir de abordagem multidisciplinar, consiga fazer frente à demanda por respostas ágeis para novas doenças que ameacem a saúde pública brasileira e mundial, em geral doenças virais”, explica o diretor do Instituto Butantan, Jorge Kalil.

Além das doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, foco inicial dos trabalhos, o núcleo também poderá atuar no estudo de outras enfermidades que já estão presentes no mundo, como encefalite japonesa, febre do Nilo Ocidental e síndrome respiratória do Oriente Médio (MERS, na sigla em inglês).

Reforma do espaço

A reforma do prédio que abrigará o Garde-IB deverá ter início no segundo semestre de 2016, com previsão de durar cerca de um ano. Com a curadoria do arquiteto Fernando Serapião, o Butantan convidou três escritórios de arquitetura com experiência em projetos para espaços públicos e de pesquisa para o desenvolvimento de propostas preliminares de arquitetura para o espaço.

Os projetos dos escritórios Eduardo de Almeida, Vigliecca & Associados e Grupo SP serão recebidos e analisados por uma comissão composta por profissionais do Butantan e pelos professores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, Agnaldo Farias e Guilherme Wisnik, até o final de julho.

As propostas deverão preservar a construção civil do prédio e envolver o desenho de laboratórios multiusuários e multifuncionais, que incluam áreas com altos níveis de biossegurança e espaços de integração entre as equipes que trabalharão nos laboratórios.

A edificação de 6 mil metros quadrados reintegrada ao Butantan faz parte de uma área com, aproximadamente, 30 mil metros quadrados que está destinada à futura implantação do Instituto de Inovação em Biotecnologia Butantan. O Garde-IB é a primeira fase deste projeto que compreenderá um espaço de colaboração científica, reunirá laboratórios de ponta e permitirá a integração de plataformas e linhas de pesquisa com foco no desenvolvimento e produção de novos biomedicamentos, uma grande lacuna do processo inovativo em saúde no Brasil.

No cumprimento de sua missão institucional de contribuir com a saúde pública, o Butantan facilitará, com o Instituto de Inovação em Biotecnologia, a troca de conhecimento e o trabalho conjunto entre diversas instituições de pesquisa, nacionais e internacionais, podendo abrigar, inclusive, empresas incubadoras.

Sobre o Instituto Butantan

Vinculado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, o Instituto Butantan é um dos principais produtores de imunobiológicos do Brasil, responsável por grande parte da produção nacional de antivenenos e antitoxinas bacterianas e virais, além de grande volume da produção nacional de vacinas utilizadas no Programa Nacional de Imunizações – PNI, do Ministério da Saúde.

A instituição se destaca pelo desenvolvimento de estudos e pesquisas, básicas e aplicadas, relacionados direta ou indiretamente com a saúde pública nas áreas da Biologia, Biomedicina e Biotecnologia.

O Butantan mantém importantes coleções zoológicas e também promove atividades culturais e de ensino, relacionadas à educação formal e não formal, com foco na difusão do conhecimento científico.

COMENTÁRIOS