Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC é especialista em casos graves

Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC é especialista em casos graves

O Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP completa em 2019 66 anos de atendimento, ensino e pesquisa.

A Clínica Ortopédica e Traumatológica da FM foi a primeira a ser transferida para o HC, tendo por finalidade o Pronto Socorro aos traumatizados do aparelho locomotor e os pacientes da Paralisia Infantil. “O instituto foi inaugurado no momento inicial da ortopedia”, conta Gilberto Luis Camanho, do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da FM e presidente do Conselho Diretor do IOT. “Era uma especialidade inexistente na maioria das faculdades (de medicina)”.

Em consequência do grande fluxo de enfermos atraídos pelos serviços da Clínica Ortopédica e Traumatológica, foi determinado pelo Governo do Estado de São Paulo a construção de um pavilhão destinado unicamente para o atendimento de traumatologia e ortopedia. Em agosto de 1951, a Clínica Ortopédica e Traumatológica iniciou suas atividades ambulatoriais em prédio próprio, em caráter experimental. Em 1952, foram internados os primeiros pacientes. E foi em 31 de julho de 1953 que foi inaugurado oficialmente o prédio do IOT.

Camanho explica que o IOT, assim como a ortopedia, evoluiu bastante. “A ortopedia é hoje uma especialidade que se dedica a setores como os pés, mãos, quadril, joelho e ombro”, destaca o professor, e avança: “Além disso, IOT é pioneiro nas articulações isoladas: joelho, pé, ombro. Várias especialidades tiveram seus estudos iniciados no instituto. Há também o atendimento traumatológico. No momento, o IOT atende apenas traumas mais graves.

Por fim, Camanho comenta que um dos maiores desafios do instituto é aumentar o número de atendimentos. O IOT é um centro de excelência, sendo capaz de atender as ocorrências mais complexas de ortopedia e traumatologia. No entanto, as filas ainda são longas, podendo durar até dois anos.

Tecnologia a serviço

Em agosto deste ano, foi inaugurado o Rehab Lab, no setor de Terapia Ocupacional do Instituto de Ortopedia e Traumatologia (IOT) do HCFMUSP. O laboratório de pesquisa conta com uma impressora 3D para a produção de próteses e com um braço robótico, controlado por software, que esculpe assentos de cadeiras de rodas, coletes e outros aparelhos ortopédicos. “O objetivo do laboratório é desenvolver tecnologias assistivas. Espera-se baratear os custos e agilizar a entrega dessas tecnologias, que já existem internacionalmente”, ressalta a Profa. Selma Lancman.

O laboratório também será utilizado para pesquisa e ensino pelos alunos de graduação, pós-graduação e residentes da FMUSP, que poderão desenvolver novos projetos com essa tecnologia. A coordenadora do Rehab Lab, Maria Cândida Luzo, destacou que com esse novo advento, será possível “dar um passo largo na pesquisa e no desenvolvimento de órteses”.

COMENTÁRIOS