Instituto do Coração comemora resultados inéditos de excelência

Instituto do Coração comemora resultados inéditos de excelência

Recentemente, o Instituto do Coração (Incor) do Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP apresentou seus dados de desempenho e atingiu sua melhor marca desde sua criação, há 42 anos.

O diretor da Divisão de Cirurgia Cardiovascular do Incor, o médico Fábio Jatene, conta que, em 2016, a chance de um paciente do instituto receber alta após uma cirurgia de pontes de safena era de 96%; já em 2019, o índice é de 99%. O professor admite que a mudança pode parecer inexpressiva, porém ela se mostra relevante à medida em que se compara com o contexto nacional. “No Brasil, nós operamos 100 mil doentes por ano. Se extrapolarmos nossos índices para os demais centros, são 3 mil pessoas beneficiadas a mais só nessa situação de cirurgia cardiovascular.”

Para atingir esses números, o Incor adotou um “programa de melhoria contínua da qualidade”. Jatene explica que se trata de uma série de procedimentos, como treinamento de pessoas, integração de equipes e melhoria das informações. “No fim, é um conjunto de medidas que praticadas continuamente conseguem propiciar esses resultados”, declara. Ele ainda comenta que o modelo deve ser replicado para outros centros do País.

O professor aponta que um dos objetivos do instituto é trabalhar mirando as melhores instituições do mundo. Ao estabelecer metas para que se aproximasse dos números delas, em algumas situações o Incor chegou a superar o que almejava. “É possível alcançar, dentro de um hospital universitário público, os resultados dos melhores centros da área no mundo”, pontua Jatene.

COMENTÁRIOS