Mitos atrapalham diagnóstico precoce do câncer de mama

Mitos atrapalham diagnóstico precoce do câncer de mama

Prótese de silicone pode causar câncer? Desodorante aerosol aumenta o risco de desenvolver tumor?

Perguntas como essas seguem sendo parte dos mitos ligados ao câncer de mama, é o que indica um levantamento realizado pelo serviço de mastologia do Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (Icesp), maior centro público de oncologia da América Latina, ligado à Secretaria de Estado da Saúde e à Faculdade de Medicina da USP.

Os principais questionamentos de pacientes já em tratamento na instituição, além de seus familiares, foram relacionados em consultas médicas ou multiprofissionais e referem-se à alimentação – e aos tipos de alimentos que podem estar relacionados ao tumor – ou hábitos e atitudes, como o uso de lingerie apertada. Grande parte do público também tem dúvidas sobre a relação do câncer com a hereditariedade.

Segundo o mastologista José Roberto Filassi, com a popularidade da internet, ao invés de facilitar o acesso às informações passou, também, a propagar diversas inverdades sobre o câncer.

“Existe uma série de informações que circulam sobre o tema e que não estão fundamentadas em estudos científicos. Portanto, não correspondem à realidade. Conversar com seu médico é sempre o melhor caminho para esclarecer todas as dúvidas sobre este assunto”, alerta.

O Brasil responde por mais de 10% de novos casos de tumores por ano, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca). No Icesp, o grupo de mastologia realiza 1,2 mil atendimentos por mês, entre consultas médicas e cirurgias. Quando a prevenção primária não é possível, o diagnóstico precoce é fundamental na busca pela cura e por uma boa qualidade de vida.

“É importante saber que quanto mais idade a mulher tem, maiores as chances de ter câncer de mama. Não existem sintomas fáceis de identificar, pode ser um câncer silencioso. O que traz a mulher ao médico são dores ou pontadas na mama, mas isso não tem a ver com o câncer. O que mais preocupa é o aparecimento de nódulos”, explica o mastologista Luiz Henrique Gebrim.

 

É mito ou é verdade? Veja abaixo algumas das crenças populares que precisam ser desmistificadas:

O câncer é hereditário

Muitas pessoas ainda acreditam que o principal fator para o surgimento do câncer é o genético, mas apenas 10% dos tumores têm esta correlação. É importante, portanto, estar sempre atento ao próprio corpo: nódulos e feridas que persistem por muito tempo, e não existiam antes, podem indicar algum problema de saúde. Nesse caso, a visita ao médico não deve ser adiada.

O autoexame substitui a mamografia

O autoexame ou mesmo o exame clínico, feito por um especialista, não são suficientes  para o diagnóstico de câncer. A recomendação é realizar a mamografia regularmente, de acordo com a indicação de seu médico.

“A mamografia faz uma detecção precoce, o que não impede que o câncer apareça, mas a descoberta num estágio inicial impede que ele evolua”, explica a supervisora do Mulheres de Peito, Fabiana Angélica de Oliveira.

Uso de desodorante aerosol facilita o desenvolvimento de tumores

A axila não tem células mamárias, portanto o uso de qualquer tipo de desodorante não afeta as mamas.

Prótese de silicone pode dificultar o diagnóstico

Não há consenso científico quanto às limitações dos exames de imagem em pacientes que possuem próteses de silicone nas mamas. Tampouco, há pesquisas que relacionem a cirurgia para aumento dos seios com o aparecimento de tumores.

Lingerie apertada aumenta as chances de câncer de mama

O tipo de sutiã, independente do tecido ou modelo – não favorece o desenvolvimento do câncer de mama.

A pílula anticoncepcional provoca câncer

Não existem estudos que permitam a associação entre o uso de pílula anticoncepcional e aumento da incidência de câncer.

Quando o câncer aparece novamente, a doença não tem mais cura

Cada paciente é único e responde de uma maneira aos diferentes tipos de tratamento disponíveis, por isso não é possível afirmar que todos os casos vão evoluir da mesma maneira.

COMENTÁRIOS