Mudanças de temperatura podem provocar gripes e resfriados

Mudanças de temperatura podem provocar gripes e resfriados

 

Com a chegada do outono, o período de mudanças bruscas de temperatura começam a deixar o tempo instável. No entanto, é importante que alguns hábitos sejam incorporados na rotina para evitar problemas de saúde. Idosos e crianças requerem atenção maior, pois nos dias mais frios, os resfriados e gripes fortes podem colocar a vida dessas pessoas em risco.

 

A partir de agora, existe uma grande tendência para a alternância de temperatura e é provável que pessoas alérgicas, que sofrem de rinite, bronquite ou sinusite tenham fortes crises também. Por não haver cura, lembre-se que a prevenção é a melhor alternativa nesse caso. Evite os agentes que despertam a doença, como o acúmulo de pó, e também o uso de medicamentos como antialérgicos e anti-inflamatórios.

 

Lembre-se que, nessa época, o dia inicia mais frio, esquenta no decorrer das horas e volta a esfriar a tarde. Essas mudanças exigem que as crianças estejam vestidas adequadamente para suportar as mudanças na temperatura. Crianças expostas ao vento e ao frio, e mesmo as que estão agasalhadas demais, ficam suscetíveis à desidratação. Para os idosos, a recomendação é a mesma.

 

Atenção para algumas indicações:

 

  • Tomar muito líquido;
  • Alimentação leve;
  • Roupas condizentes com a temperatura;
  • Aqueça o ambiente se estiver muito frio;
  • Deixe a casa ventilada;
  • Evite o choque térmico.

 

Diferenças entre gripe e resfriado

 

Afinal, quais as diferenças entre gripe e resfriado e como identificar cada um? O “pré-diagnóstico” pode ser feito pelo paciente para que ele tome a iniciativa de procurar atendimento médico. Tanto um quanto o outro são doenças infecciosas: a gripe é causada pelo vírus Influenza e o resfriado, na maioria das vezes, pelo Rhinovírus. As diferenças estão ligadas aos sintomas e o nível de agressividade deles.

 

De acordo com o médico infectologista do Instituto Emílio Ribas Jean Gorinchteyn, o resfriado tem sintomas muito mais brandos e pode ser tratado em casa, com reforço na hidratação, boa alimentação, antitérmicos e analgésicos de costume, além de repouso.

 

Já no caso da gripe, a visita ao médico é imprescindível, já que a doença pode ter complicações sérias. A gripe é uma doença tão importante, que hoje já existe tanto vacina, quanto remédios específicos para tratá-la. “Na gripe, o comprometimento da saúde é tão forte que impede as pessoas de atuar no seu dia a dia, tanto nas atividades profissionais, quanto pessoais”, afirma o médico.

 

O resfriado costuma ser lento e gradativo, e os sintomas da gripe sempre surgem de forma repentina e “derrubam” a pessoa. Veja uma lista com os sintomas:

 

RESFRIADO

  • Início: se instala de forma lenta
  • Duração: média de quatro dias
  • Febre: sim, de no máximo 38 graus
  • Tosse: não há ou surge apenas na reta final da doença
  • Espirro (coriza/nariz vermelho): sim, são características peculiares dos resfriados
  • Dores no corpo: não fazem parte das características do resfriado

GRIPE

  • Início: se instala de forma rápida, de uma hora para outra
  • Duração: média de sete dias
  • Febre: sim, com mais de 38 graus
  • Tosse: sim, é um sintoma típico da gripe, principalmente, a tosse seca
  • Espirro (coriza/nariz vermelho): não, ao contrário do que muita gente pensa, não faz parte dos sintomas característicos da gripe
  • Dores no corpo: sim, são uma das características mais peculiares da gripe

 

As gestantes precisam de atenção redobrada, além de participar da vacinação. “Com a chegada do inverno, é importantíssimo que os grupos prioritários de vacinem contra a gripe, principalmente as gestantes e crianças, por conta da baixa cobertura”, afirma Helena Sato, diretora de Imunização da Secretaria.

 

COMENTÁRIOS