Mulheres de Peito: exames gratuitos de mamografia no município de Arujá

Mulheres de Peito: exames gratuitos de mamografia no município de Arujá

As mulheres do município de Arujá, localizado no Alto Tietê, ainda podem realizar exames gratuitos de mamografia. A carreta do Programa “Mulheres de Peito”, da Secretaria de Estado da Saúde, fica até o dia 22 de junho na cidade. 

O serviço oferece o exame sem necessidade de pedido médico para mulheres acima de 50 anos. Basta levar RG e cartão SUS. Pacientes fora dessa faixa etária também podem realizar os exames, desde que tenham em mãos um pedido médico emitido pela rede pública ou particular, cartão SUS e RG. “Quanto maior a idade, maiores as chances de ter câncer de mama. Não existem sintomas fáceis de identificar, porque o câncer de mama pode ser silencioso”, diz o mastologista Luiz Henrique Gebrim. Ele alerta, no entanto, que mulheres de todas as idades podem ser atingidas pela doença.

O veículo oferece exames de mamografia de segunda à sexta-feira, das 9h à 18h, e aos sábados, das 9h às 13h, exceto feriados. As imagens captadas pelos mamógrafos são encaminhadas para o Serviço Estadual de Diagnóstico por Imagem (Sedi), serviço da Secretaria que emite laudos à distância, na capital paulista. O resultado sai em até 48 horas após a realização do procedimento, dependendo da complexidade de cada caso.  

 A iniciativa visa ampliar o acesso e incentivar as mulheres a realizarem exames de mamografia pelo SUS (Sistema Único de Saúde) em todo o Estado. Para isso, há quatro carretas percorrem os municípios paulistas ininterruptamente. “O exame salva vidas. A mamografia faz uma detecção precoce, o que não impede que o câncer apareça, mas a descoberta num estágio inicial impede que ele evolua”, explica a supervisora do Mulheres de Peito, Fabiana Angélica de Oliveira.

O câncer de mama é a maior causa de morte por tumores em mulheres no Brasil e também em São Paulo. “O acesso ao exame de mamografia agiliza o diagnóstico e o tratamento precoce para a doença”, diz José Henrique Germann, secretário de Estado da Saúde.

 As unidades móveis contam com equipe multidisciplinar composta por técnicos em radiologia, profissionais de enfermagem, funcionários administrativos e um médico ultrassonografista 

 As carretas possuem 15 metros de comprimento, 4,10 metros de altura e, quando abertas, 4,90 metros de largura. Além do mamógrafo, cada veículo é equipado com aparelho ultrassom, conversor de imagens analógicas em digitais, impressoras, antenas de satélite, computadores, mobiliários e sanitários. 

 Agendamento telefônico 

Mulheres com idade superior a 50 anos, que nasceram em ano ímpar e fazem aniversário neste mês também podem marcar exames de mamografia sem necessidade de pedido médico, gratuitamente, pelo callcenter da Secretaria.  

Para fazer o agendamento, basta ligar para 0800-779-0000. O serviço telefônico está disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Neste caso, os exames não serão realizados nas carretas, e sim em um dos 200 serviços com mamógrafo do SUS paulista. 

Caso a mulher tenha nascido em ano par e esteja há mais de dois anos sem fazer o exame, também poderá fazer o agendamento no mês de seu aniversário, ainda neste ano. 

O 0800 é uma iniciativa complementar às carretas-itinerantes, que tem como objetivo rastrear ativamente o câncer de mama e incentivar a realização de exames preventivos para detecção da doença. 

A previsão é de que a mamografia seja realizada ainda no mês de aniversário da paciente ou, no máximo, em 45 dias após a solicitação do exame. Caso seja detectado algum problema nos exames realizados nas carretas ou nos serviços de saúde agendados por meio do 0800, a paciente é encaminhada para acompanhamento e tratamento na unidade da Rede Hebe Camargo de Combate ao Câncer mais próxima da sua residência.

“A rede Hebe Camargo oferece estrutura altamente qualificada para tratamento dos pacientes oncológicos, com atendimento humanizado, uma iniciativa diferenciada que fortalece a assistência”, afirma a coordenadora da rede, Sônia Alves.

 Serviço 

Rua Rodrigues Alves, 51, no centro de Arujá (próximo à esquina com a Avenida Getúlio Vargas). 

COMENTÁRIOS