Na “semana do diabetes”, AME de Bauru promove ações de orientação e prevenção

Na “semana do diabetes”, AME de Bauru promove ações de orientação e prevenção

No Dia Mundial do Diabetes (14 de novembro), o Ambulatório Médico de Especialidades (AME) de Bauru, unidade estadual sob gestão da Fundação para o Desenvolvimento Médico e Hospitalar (Famesp), recebe uma semana de orientações sobre os riscos da doença e como preveni-la por meio de palestras on-line voltadas para funcionários, pacientes e acompanhantes.

Na terça e na quinta (dias 12 e 14), o tema será “Alimentação saudável”. Na quarta-feira (13), será ministrada a palestra “Cuidados gerais com manuseio de insulina”. Todas as atividades serão realizadas das 9h às 10h, no auditório do AME Bauru gratuitamente.

Dados

Em 10 anos (2006 e 2016), teve aumento de 60% no número de diagnósticos de diabetes no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. Se não tratada, pode levar à morte.

O Brasil possui mais de 13 milhões de pessoas com diabetes atualmente, o que representa 6,9% da população nacional. No mundo, este número é de uma a cada 11 pessoas.

Diabetes é uma doença causada pela produção insuficiente ou dificuldade de ação da insulina, hormônio que tem a função de quebrar as moléculas de glicose (açúcar) transformando-as em energia para manutenção das células do nosso organismo. O diabetes se divide em dois grupos:

– No tipo 1, as células responsáveis pela defesa do organismo acabam atacando outras, capazes de sintetizar insulina, por causa de um defeito no sistema imunológico.

– Já no tipo 2, o organismo não produz insulina suficiente para controlar a taxa de açúcar no sangue, ou não é capaz de usar adequadamente a que produz.

Além destes dois tipos principais, podemos ter outros como o diabetes gestacional, diabetes secundário ao uso de medicações, secundário a pancreatite, diabetes neonatal.

Sintomas

Entre os sintomas da doença, estão fome e sede constantes, fraqueza e fadiga, visão embaçada, infecções, perda de peso sem motivo aparente, náuseas e vômito. Se não tratada corretamente, ela pode causar complicações nas artérias que nutrem o coração, os olhos, os rins e os nervos. Em casos mais graves, pode até levar à morte.

Fatores de risco

Fique atento se você tiver mais de 45 anos, excesso de peso, histórico familiar de diabetes, sedentarismo, presença de outras doenças associadas, como pressão alta e alteração de colesterol e triglicérides e apneia do sono.

“Muitos vivem de três a cinco anos sem saber que possuem a doença”, alerta a endocrinologista Tatiana Valente. Por conta disso, uma boa alimentação é essencial para controlar e prevenir. É importante ter uma alimentação equilibrada, evitar o excesso de doces e gorduras e praticar exercícios físicos regularmente.

Segundo o médico Daniel Magnoni, o diabetes tipo 1, de origem genética, aparece já na fase jovem. Já o tipo 2 é comum em idosos e também em pacientes obesos. “É fundamental lembrarmos que o diabetes do tipo 2 pode, sim, ser prevenido por meio da redução de peso, prática de atividade física e a diminuição do consumo de carboidratos, açúcar, sal e gordura saturada”, afirma.

Tratamento

Quem tem diabetes deve fazer o controle da glicose no sangue, por meio de um monitor de glicemia ou bombas de insulina.

COMENTÁRIOS